nsc
dc

Feminicídio

"Ela estava realizando o sonho de ser diretora" diz colega de professora morta em SC

Elenir de Siqueira Fontão, de 49 anos, foi morta a facadas dentro de escola no Campeche, em Florianópolis

20/02/2020 - 11h06 - Atualizada em: 20/02/2020 - 12h38

Compartilhe

Lucas
Por Lucas Paraizo
Elenir tinha 49 anos e dois filhos
Elenir tinha 49 anos e dois filhos
(Foto: )

Professora do colégio Januária Teixeira da Rocha, no Campeche, em Florianópolis, Elenir de Siqueira Fontão trabalhava na escola há 16 anos e estava começando o seu primeiro ano letivo como diretora. Era um sonho da carreira dela na educação que estava sendo realizado. Na mesma escola que a dava razões para sorrir, Elenir foi assassinada pelo ex-namorado nesta quarta-feira (19), após ele invadir o local no fim da tarde e atacar a mulher com facadas.

Muito conhecida e adorada pelos alunos e ex-alunos da pequena escola na Rua da Capela, Elenir era elogiada por todos e tinha uma relação de proximidade com a comunidade escolar. No fim do ano passado assumiu a unidade como diretora provisória, e em outubro foi escolhida pela própria comunidade para ser diretora.

Colega de magistério desde que entraram juntas na rede de educação em 2005, Kátia Regina Ferreira diz que Elenir estava muito feliz pelo novo cargo na escola:

— Ela estava realizando um sonho de ser diretora da escola que ela trabalhava há tantos anos. Ela era uma pessoa maravilhosa, que estava sempre disponível para ajudar a gente — conta a amiga.

Kátia diz que se encontrou com Elenir pela última vez em dezembro, em uma confraternização de fim de ano com várias assessoras de direção da rede de ensino da Grande Florianópolis. Na ocasião elas combinaram um encontro, pois Elenir queria conversar, mas os compromissos do começo do ano adiaram os planos.

— A Elenir era uma mãe maravilhosa, uma profissional incrível. Era uma pessoa muito, de coração iluminado. Você não vai achar ninguém que tinha algo de ruim para falar sobre ela.

Elenir tinha 49 anos e deixou dois filhos adultos de um casamento anterior. O velório ocorre na capela da igreja do Ribeirão da Ilha, no Sul de Florianópolis, e o enterro está marcado para as 15h no cemitério do Ribeirão.

Colunistas