nsc
an

publicidade

Polícia

Em fuga, homem faz duas crianças reféns e acaba morto pela polícia em Barra Velha

Ele era foragido do sistema prisional e estava sendo monitorado pela Polícia Militar

06/12/2019 - 18h07 - Atualizada em: 06/12/2019 - 19h18

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
foto mostra casa onde foram feitos reféns
Homem invadiu casa onde havia duas crianças
(Foto: )

Um homem foragido do sistema prisional fez duas crianças reféns enquanto fugia da Polícia Militar na tarde desta sexta-feira (6) em Barra Velha. Segundo a PM, ele teria apontado uma arma contra os policiais e, em seguida, foi morto a tiros.

O homem, que não teve a identidade revelada pela polícia, estava sendo monitorado pelas agências de inteligência da PM de Itajaí e Penha com o objetivo de devolvê-lo ao sistema prisional. Os policiais monitoraram uma filha dos suspeito com residência em Barra Velha com a suspeita de que ela estava acobertando a fuga do pai.

Em um acompanhamento realizado nesta sexta-feira, o suspeito percebeu que a viatura da polícia estava próxima e fugiu. Segundo a PM, ele entrou nas residências pulando pelos muros e chegou até a última casa da rua, onde teria feito duas crianças reféns.

O comandante da Polícia Militar de Barra Velha, capitão Rui Florêncio Teixeira Júnior, contou que o homem pegou as crianças e subiu para o primeiro andar da casa. Os policiais teriam pedido que ele entregasse as crianças e em um momento de descuido o menino conseguiu se desvencilhar e pegar a irmã para levá-la ao andar de baixo.

Segundo o capitão, o homem apontou uma pistola Glock para os policiais, fazendo menção de atirar, e os agentes atiraram em legítima defesa. A idade das crianças e as informações sobre o detento não foram divulgadas pela PM.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Polícia

publicidade

Colunistas

    publicidade

    publicidade

    publicidade