nsc
    santa

    Consumidor

    Empresas de telefonia iniciam atendimento direto no Procon de Blumenau

    Primeiro dia de presença de representante de companhias registrou 15 atendimentos, 13 deles solucionados segundo o órgão

    14/08/2017 - 18h02 - Atualizada em: 15/08/2017 - 03h03

    Compartilhe

    Por Redação NSC

    O Procon de Blumenau começou a oferecer ontem atendimento direto com representantes das empresas Claro, Net e Embratel. O serviço é resultado de um termo de cooperação firmado com o Grupo América Móvil, dono das três companhias e segunda colocada na lista de reclamações fundamentadas no órgão de defesa do consumidor na cidade. Toda segunda-feira, um representante das empresas atenderá clientes que quiserem relatar e resolver problemas no serviço prestado ou nas cobranças efetuadas.

    Ariana Seibel, 32 anos, teve divergência de valores com as empresas que fornecem telefonia e televisão fechada. O impasse sobre o pagamento fez as companhias bloquearem o endereço dela, impedindo novas instalações de moradores de outras casas que ela mantém alugadas no mesmo local em que mora, no bairro Garcia. Na tarde de ontem, foi ao Procon para fazer uma reclamação e foi surpreendida com a notícia de que uma atendente da própria empresa estaria ali.

    – Fiquei com uma esperança maior de resolver isso mais rápido do que costuma ocorrer normalmente, acho que pode ser algo positivo – opinou.

    Evanir Floriano Brick, 70, recebeu cobranças de um pacote de internet que não solicitou e teve alterações no plano de telefonia celular que encareceram as ligações que faz para a filha. Ao tentar suspender os valores e reaver o plano antigo, também recorreu ao atendimento da telefônica ontem e saiu com promessa de que o caso estava prestes a ser resolvido.

    Casos solucionados no ato não entrarão em estatísticas

    Foram 15 atendimentos feitos pelo programa no primeiro dia segundo informou o Procon. Desses, apenas dois não foram resolvidos no dia e tiveram processos abertos no órgão, onde o tempo mínimo de resolução costuma ser de pelo menos 60 dias. Os casos que são solucionados ali não entram para as estatísticas nacionais de reclamações sobre as companhias.

    O coordenador-geral do Procon, Cézar Cim, considera que a ação humaniza e traz mais rapidez à resolução dos problemas do consumidor. Ele acredita que outras concorrentes do ramo de telefonia também vão se mostrar interessadas em oferecer esse atendimento e antecipa que, quando o órgão implantar o sistema de reclamações online, o que ele prevê ainda para setembro, será possível direcionar as queixas cadastradas pela internet diretamente para as empresas também de outros setores, como o bancário e o comercial, com o órgão assumindo um papel mais supervisor.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas