publicidade

Educação
Navegue por

Educação

Escola municipal terá ensino bilíngue com português e Libras em Joinville em 2019

Será a primeira unidade escolar de Santa Catarina a oferecer a metodologia de ensino, atendendo as crianças com surdez

04/02/2019 - 09h15 - Atualizada em: 04/02/2019 - 15h29

Compartilhe

Luan
Por Luan Martendal
Foto mostra a placa e a escola ao fundo
Escola Mons. Sebastião Scarzello era estadual, foi interditada e passou para o município
(Foto: )

Nesta quarta-feira, 6 de fevereiro, cerca de 70 mil alunos da rede municipal de educação devem retomar os estudos em Joinville. E para o início do ano letivo uma das novidades apresentadas pela secretaria municipal de educação é o desenvolvimento do projeto pioneiro de escola bilíngue na Escola Municipal Monsenhor Sebastião Scarzello, no bairro Itaum. A unidade escolar será a primeira em Santa Catarina a ensinar concomitantemente Português e a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

— Era uma escola que estava parada, que recuperamos e a transformamos em uma escola apta a atender crianças surdas, com toda uma metodologia de trabalho nas duas linguagens— aponta o secretário Roque Mattei.

A escola se propõe a atender as crianças que necessitem o aprendizado em Libras na Educação Infantil, alunos entre quatro e cinco anos, e também do ensino fundamental. Em contrapartida, os pais que preferirem manter os filhos em escolas regulares manterão esse direito.

Outra metodologia que ganha força em Joinville é a do ensino integral, em que cada escola com mais de 100 alunos mantém duas turmas nesse método de ensino. As turmas integrais ficam ao menos sete horas na escola por dia e fazem atividades extras, como espaço-maker (mão na massa), e participam de projetos esportivos, em laboratórios de ciências, robótica, mobilidade, cidadania, entre outros.

Hoje, são cerca de cinco mil alunos do fundamental em período integral na cidade. Os recursos de tecnologia também foram ampliados, com a distribuição de lousas digitais nas salas de aula, tablets de ensino, e notebooks para professores.

— As escolas têm uma mudança física e estão sendo transformadas, mas o pano de fundo por trás disso é uma mudança de projeto pedagógico e inovador da rede municipal. Estamos trabalhando na intenção de ter mais aulas práticas e experimentos, saindo da teoria e indo para o cotidiano do aluno. A intenção é trabalhar uma educação colaborativa onde todos participam do processo educacional, o aluno, o professor, a família, a comunidade, as universidades e as empresas parceiras, gerando oportunidades e inspiração para o futuro dessas crianças — ressalta Mattei.

Pioneiras do novo ensino médio

Nas escolas mantidas pelo Estado também há novidade. Quatro escolas da regional norte aderiram ao Programa Novo Ensino Médio. São elas: EEB Professora Jandira D’Ávila, EEM Deputado Nagib Zattar, e EEB Engenheiro Annes Gualberto, de Joinville, além da EEB Nereu Ramos, de Itapoá.

Essas escolas devem participar de formação docente, debates e discussões para a elaboração do currículo do Novo Ensino Médio em Santa Catarina.

Vale lembrar que a EEB Professora Jandira D’Ávila e a EEM Deputado Nagib Zattar já oferecem o sistema de Ensino Médio Inovador, e a EEB Engenherio Annes Gualberto oferece o Ensino Médio em Tempo Integral. Já a EEB Nereu Ramos oferece o Curso Técnico em Portos no Ensino Médio Integrado à Educação Profissional, o único na rede estadual em Santa Catarina.

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação