A pastora e cantora gospel Denise Seixas, conseguiu medida protetiva contra o marido, o pastor e líder da igreja Bola de Neve, Rinaldo Pereira, após denúncias de lesão corporal, violência psicológica, ameaça, injúria e difamação. Segundo Denise, as agressões eram na maioria das vezes, quando a mulher se negava a ter relações sexuais com Rinaldo. As informações são do g1.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

De acordo com a decisão da Justiça de São Paulo, Rinaldo deve manter ao menos 300 metros de distância de Denise, seus familiares e eventuais testemunhas do processo. Além disso, ele está proibido de manter qualquer tipo de contato com a vítima, mesmo que por intermédio de terceiros. O pastor foi afastado do cargo religioso no último domingo (9).

Agressões teriam ocorrido durante todo o relacionamento

Em depoimento à Polícia Civil, Denise disse que sofreu diversos tipos de agressão durante todo o relacionamento com o pastor, de xingamentos à violência física. Ela relata que, em um dos episódios, tomou um soco no nariz, mas não denunciou em razão da influência do marido.

Em abril de 2023, o filho da pastora divulgou um vídeo em que Rinaldo aparece dizendo que a mulher está “completamente enlouquecida”. Denise conta que, a partir disso, o líder religioso teria ficado enfurecido, e ela passou a sofrer violência psicológica.

Continua depois da publicidade

Ela disse, ainda, que nos últimos meses de relacionamento, foi obrigada a gravar vídeos desmentindo que Rinaldo seria um agressor, a fim de proteger sua reputação. Como a tentativa de limpar sua imagem com o vídeo “não deu certo, uma vez que as pessoas perceberam que ela estava lendo”, ela conta que o pastor arremessou uma cadeira em sua direção, mas não acertou porque ela teria desviado.

Denise relata que, em um episódio de violência, o pastor disse que a esposa não poderia “ficar longe do leito”, já que ele estaria sem relação sexual havia um mês. Em outra suposta ocorrência, Rinaldo pediu para conversar com Denise e disse que aquele seria o “último dia”, ou seja, o prazo que ela teria para voltar a ter relação sexual com o marido.

Denise ainda diz que, nos últimos dois meses, perdeu o acesso às redes sociais e teme que alguém faça algo contra sua reputação. Ela também afirmou que não tem acesso às suas finanças, tendo que recorrer a uma pessoa indicada por Rinaldo sempre que precisa de dinheiro.

Igreja emitiu nota

A igreja, que tem 560 igrejas em 34 países, publicou uma nota no último domingo (9) informando o afastamento de Rinaldo de suas funções como líder religioso. “Pedimos perdão primeiramente a Deus, a quem um dia prestaremos conta, pelas falhas e falta de atenção aos fatos apresentados”, diz a nota.

Continua depois da publicidade

Por meio de sua assessoria de imprensa, o apóstolo Rinaldo Seixas negou “qualquer prática de violência e confia na apuração isenta e técnica de todos os fatos pela Polícia Civil e Ministério Público”. O pastor tem mais de 116 mil seguidores em suas redes sociais, onde publica pregações.

*Sob supervisão de Andréa da Luz

Leia também

Empresa é indiciada por crime ambiental após morte de animais durante enchente no RS

Homem desaparecido desde abril é encontrado esquartejado em SC

Destaques do NSC Total