nsc
santa

publicidade

Prisão

Ex-deputado João Pizzolatti chega a Blumenau, após ser preso na Grande Florianópolis

Ex-parlamentar foi detido pela Polícia Civil em uma clínica de reabilitação, atendendo à determinação da Justiça. Ele foi encaminhado ao Presídio Regional

17/05/2019 - 19h55 - Atualizada em: 17/05/2019 - 21h39

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
pizzolatti-ex-deputado-preso-blumenau-delegacia-regional
Pizzolatti foi encaminhado pelas autoridades ao Presídio Regional de Blumenau
(Foto: )

O ex-deputado federal Joao Pizzolatti chegou há pouco a Blumenau. Por volta das 19h20min, a viatura da Polícia Civil que trouxe o ex-parlamentar de São José, na Grande Florianópolis, para o Vale do Itajaí, estacionou na garagem da Delegacia Regional de Blumenau, no bairro Velha.

Pizzolatti foi preso pela polícia na tarde desta sexta-feira, enquanto estava em uma clínica de reabilitação na Grande Florianópolis. Ele teve a prisão decretada após ter sido flagrado dirigindo um automóvel em Rio dos Cedros, na manhã do dia 29 de abril, descumprindo uma medida cautelar imposta pela Justiça, no processo criminal em que ele responde por causa de um acidente de trânsito em que ele se envolveu em dezembro de 2017.

De acordo com o delegado regional Egídio Ferrari, o ex-deputado não reagiu à prisão e se mostrou sereno durante toda a abordagem. Ele teria afirmado ainda que se arrepende de não ter se apresentado à polícia antes. Quando abordado pela reportagem, Pizzolatti afirmou:

– Não tenho nada a declarar.

O ex-deputado federal ficou por pouco tempo na delegacia e logo foi encaminhado pelas autoridades ao Presídio Regional de Blumenau.

Justiça nega pedido de revogação da prisão feita pela defesa de Pizzolatti

Antes da chegada do ex-parlamentar a Blumenau, a Justiça negou o pedido de revogação da prisão feito pela defesa de Pizzolatti nesta sexta-feira. Conforme a decisão da juíza Cibelle Mendes Beltrame, da 1ª Vara Criminal da Comarca de Blumenau, "os documentos documentos apresentados pela defesa são insuficientes para demonstrar que o réu se encontra extremamente debilitado por motivo de doença grave. De outro lado, no ergástulo há serviço de assistência médica e o acusado poderá continuar o tratamento no estabelecimento prisional".

Deixe seu comentário:

publicidade