O ex-prefeito de Três Barras, Luiz Shimoguiri (PSD), deixou a cadeia na quinta-feira (15) após uma liminar ao pedido de habeas corpus concedida pelo Tribunal de Justiça de Santa Catariina (TJ-SC). Como medida cautelar, ele utilizará tornozeleira eletrônica.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Joinville e região no WhatsApp

Além do monitoramento eletrônico, outras medidas cautelares devem ser cumpridas, como proibição de contato com outros réus condenados na ação, proibição de entrar na prefeitura e secretarias municipais da cidade e limitação de circulação — ele só pode ir às cidades de Canoinhas, Major Vieira, Três Barras e Bela Vista do Toldo.

O político foi preso em abril deste ano durante a quarta fase da Operação Mensageiro. Em agosto, ele renunciou ao cargo. Segundo a investigação, Shimoguiri teria recebido R$ 805 mil em pagamento de propina da empresa Serrana Engenharia, pivô do esquema.

No total, 16 prefeitos chegaram a ser presos nas quatro fases da Mensageiro. Até então, o ex-prefeito era o único que ainda estava na prisão. No entanto, na quinta-feira, a justiça reverteu a decisão e determinou uma nova prisão do ex-prefeito de Pescaria Brava, Deyvisonn da Silva de Souza (MDB).

Continua depois da publicidade

No início desta semana, o ex-prefeito de Guaramirim, Luiz Antonio Chiodini, também foi solto.

Veja prefeitos que foram presos na Mensageiro

Leia também

Condenado na Mensageiro, ex-prefeito de Itapoá é solto e vai usar tornozeleira eletrônica

Vereador preso, suspeito de corrupção no Detran, é afastado da Câmara de Joinville

Destaques do NSC Total