Sebastián Piñera, presidente do chile por dois mandatos (de 2010 a 2014 e de 2018 a 2022), morreu em um acidente de helicóptero nesta terça-feira (6). Ele tinha 74 anos. A informação foi confirmada pelo Ministério do Interior do Chile, e apurada pelo g1.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

O acidente aconteceu na cidade de Lago Ranco, na região central do Chile. Conforme o jornal “La Tercera”, o ex-presidente pilotava a aeronave e levava outras três pessoas. Os quatro estavam voltando de uma visita a um amigo de Piñera, José Cox. A aeronave caiu em um lago.

Ainda conforme o jornal, três pessoas foram encontradas vivas pelas equipes de emergência. Duas delas conseguiram nadar até a margem, e a terceira foi resgatada na água.

A aeronave já estava submersa nas águas do lago quando o resgate chegou. Segundo informações, Piñera não conseguiu tirar o cinto de segurança a tempo. O corpo dele foi resgatado da água e levado por uma lancha até a margem.

Continua depois da publicidade

O governo do Chile declarou três dias de luto oficial e afirmou que a cerimônia de velório, na sexta-feira (9), terá as honrarias oficiais.

Quem foi Sebastián Piñera

A gestão de Piñera interrompeu um ciclo de presidentes da esquerda que governaram o Chile após a queda da ditadura de Augusto Pinochet, em 1988. Ele foi sucedido pelo atual presidente do Chile, Gabriel Boric.

Durante seu governo, o Chile viveu uma das maiores e mais violentas ondas de protestos da história. Em 2019, no seu segundo mandato, milhões de pessoas foram às ruas de Santiago e outras cidades para demonstrar insatisfação com o aumento do custo de vida.

Em resposta, Piñera decretou estado de emergência no país para lidar com as manifestações e reduziu o valor do transporte público, uma das principais reivindicações. A resposta aos protestos, no entanto, foi truculenta, e há denúncias de violação de direitos humanos, com feridos no olho e relatos de tortura.

Continua depois da publicidade

Em 2021, último ano de seu mandato, Piñera sofreu um processo de impeachment pedido pela oposição. O Senado chileno recusou abertura do impeachment, que já havia passado na Câmara dos Deputados.

A base para o pedido do impeachment foram revelações do Pandora Papers, em que Piñera foi acusado de ter cometido possíveis irregularidades ao vender uma empresa de mineração, como pagamento de propinas e violações de regras tributárias. A venda foi em 2010, em seu primeiro mandato. O Ministério Público chileno abriu investigações sobre o caso.

Sebastián Piñera comandou o Chile durante a pandemia de Covid-19 e decretou estado de exceção no país para combater o vírus. Durante o isolamento social, problemas sociais das manifestações de 2019 voltaram à tona com manifestações e risco de nova convulsão social.

Leia também

FOTOS: Incêndios florestais no Chile já causam 112 mortes e destroem bairros inteiros

Voos de ultrabaixo custo de Florianópolis para Argentina e Chile: confira preços, dias e horários

Destaques do NSC Total