nsc

publicidade

Segurança

Familiares contam como era relação entre suspeito e mulher morta a facadas em Joinville

Corpo da vítima foi encontrado dentro da residência do casal, por volta das 9 horas de domingo

24/09/2018 - 09h11 - Atualizada em: 10/10/2019 - 09h04

Compartilhe

Por Redação NSC
Crime ocorreu na Estrada do Atalho, no bairro Vila Nova, na zona Oeste da cidade
Crime ocorreu na Estrada do Atalho, no bairro Vila Nova, na zona Oeste da cidade
(Foto: )

Há alguns dias, Sheila Priebe, 35 anos, tinha decidido retornar à casa dos pais, no bairro Vila Nova em Joinville, após uma discussão com o companheiro, Natanael Antonio Mira, 48 anos. O motivo da separação, segundo familiares, foi o abuso de drogas por parte do marido. A mulher já tinha conseguido um caminhão para realizar o frete dos pertences, mas a mudança não se concretizou. No último sábado, após uma denúncia, o corpo dela foi encontrado pela polícia enrolado em um cobertor dentro da casa do casal.

— Ele nunca foi uma pessoa violenta, eu não sei o que aconteceu. Agora que ele caiu na droga tirou a vida dela desse jeito — lamenta Vilson Beilke, 56 anos, tio da vítima.

Segundo o tio, o vício do marido começou a incomodar Sheila nos últimos meses. Como ela não via perspectiva de melhora resolveu dar um basta na situação e deixar a casa, situada na Estrada do Atalho, no bairro Vila Nova, para recomeçar ao lado dos pais. A última discussão do casal aconteceu na semana passada, de acordo com Vilson, por causa do uso de drogas de Nataniel.

O aposentado Ademir Possamai, vizinho da casa do casal, contou que os dois tinham se mudado para a residência há aproximadamente 20 dias. Ele disse que há duas semanas escutou Sheila pedindo socorro porque o marido teria furtado uma televisão de dentro de casa. Os moradores chamaram a polícia para atender a situação e, desde então, não tinham ouvido mais nenhuma briga vindo da casa.

— Os vizinhos chamaram a polícia porque a escutaram pedindo socorro, por volta das 3 horas, dizendo que ele tinha furtado uma televisão dela para vender — conta o aposentado.

(Foto: )

O corpo da vítima foi localizado neste domingo com marca de pelo menos três facadas. Sheila era a irmã mais velha de quatro irmãos – três mulheres e um homem. Durante o velório realizado nesta manhã em Joinville, amigos e familiares estavam consternados com a situação. Para a família, a vítima era uma pessoa calma, paciente e batalhadora. Ela trabalhou durante muitos anos em uma empresa têxtil da cidade, mas tinha saído do emprego há algum tempo.

— Ela era muito querida por todos e uma pessoa muito calma, não reclamava de nada — conta o tio da vítima.

Sheila foi velada na capela da Igreja Evangélica Luterana Cristo Redentor, no bairro Glória, e sepultada no Cemitério Dona Francisca, no Distrito Industrial. Ela não deixa filhos. Já o companheiro dela foi preso no bairro Paranaguamirim, na zona Sul da cidade, horas depois que o corpo de Sheila foi localizado, e encaminhado ao Presídio Regional de Joinville.

Leia também:

Suspeito de matar mulher a facadas deve ser indiciado por feminicídio em Joinville

Deixe seu comentário:

publicidade