O Expocentro Edmundo Doubrawa se tornou palco para amantes da literatura na Feira do Livro de Joinville. Desde a última sexta-feira (3), os visitantes que caminham pelo local têm a oportunidade de comprar livros novos e usados, acompanhar as exposições de escritores em estandes e assistir palestras de temas relacionados à leitura.

Continua depois da publicidade

> Receba notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

O livreiro Leonardo Silas da Silva, de 38 anos, destaca dois motivos que reforçam a importância da feira: o fomento à leitura e a interação cultural do espaço com a sociedade joinvilense.

Uma das pessoas que buscaram essa interação é a professora Fernanda Custódio, de 42 anos. Acompanhada de um grupo de alunos do ensino fundamental, ela comemora a chegada da 18ª edição do evento para aproximar as crianças do universo literário.

– A feira é muito aguardada o ano todo. Porque tem a possibilidade de encontrar um escritor e conhecer quem criou aquela história fantástica – celebra.

Continua depois da publicidade

Um desses autores é o poeta e compositor Kalunga. Escrevendo há 39 anos, o artista veio a Joinville para apresentar músicas e contos. O escritor de 72 anos, que tem o público infanto-juvenil como foco, comenta que a inspiração de escrever para as crianças parte da interação que teve com as filhas durante a infância delas.

– Perceber as reações delas, as frases que elas diziam, a maneira que elas pronunciavam algumas palavras. Então, eu fui juntando essas ideias para escrever os livros – comenta.

Kalunga
Kalunga se apresentou no palco da Feira do Livro (Foto: Marcelo Henrique / A Notícia)

Kalunga acredita que a literatura pode trazer leveza para assuntos que não estão no “faz de conta”.

– Ela pode ser usada através do lúdico, até pela brincadeira. Já o pai [da criança], às vezes tem que ser mais sério ao transmitir algum conceito, eu não, posso transmitir brincando – afirma.

Continua depois da publicidade

Obras acessíveis são diferenciais

Boa parte das atrações é focada em estimular a escrita e a leitura para o público em geral. A estratégia funcionou com a estudante, Michele Eduarda de Faria, 18 anos, que estava de passagem em um dos estandes, e relatou que gosta de ir à feira para acompanhar as novidades literárias.

Além das obras recém-produzidas, há uma grande quantidade de livros usados e seminovos que podem ser comprados por um preço acessível. Um atrativo para quem passa pelo local e se depara com mesas preenchidas de livros que custam entre R$ 5 a R$ 15.

– Dada a situação econômica do país, as pessoas vêm para a feira e procuram por melhores preços. A feira tem espaço para todos – comenta o livreiro Leonardo.

Preços acessíveis
Preços acessíveis incentivam consumo de obras na Feira do Livro (Foto: Marcelo Henrique / A Notícia)

Vantagens da leitura

Leitora desde os oito anos, Michele aponta que um dos principais benefícios de ler é a evolução da escrita. Recentemente, a jovem prestou o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e notou que a leitura ajudou a enriquecer o vocabulário para a redação.

Continua depois da publicidade

18ª edição da Feira do Livro de Joinville vai celebrar a “arte do encontro”

As vantagens conquistadas pela leitura não se restringem apenas à escrita. Para a professora Fernanda, a imaginação também é trabalhada na mente dos leitores.

– Estimula o processo criativo. Viver aquele momento de suspense, de alegria, transforma as emoções. Isso faz com que eles desenvolvam ainda mais a criatividade – explica.

Evento para todos

O público do evento se caracteriza por não possuir faixa etária, pois atrai atenção de pessoas mais novas e mais velhas. A dona de casa, Cristina Rauvers, de 58 anos, costuma frequentar a feira há alguns anos.

A “leitora compulsiva” de romances e biografias, defende que o aprendizado adquirido nos livros tem papel fundamental não só na educação, mas também na forma com que eles auxiliam nas questões internas das pessoas.

Continua depois da publicidade

– A leitura desenvolve a pessoa. Quando você aprende alguma coisa, você cresce e consegue lidar com seus problemas – comenta.

A feira continua até o próximo domingo (12), de segunda a sábado, das 9h às 21h, e domingo, das 10h às 20h. A programação completa pode ser acessada no site do evento.

Sob supervisão de Lucas Paraizo

Leia também:

Festival de Cucas de Joinville retorna presencialmente após dois anos suspenso

Lei de reajuste de salários de prefeito, vice e vereadores de Joinville será anulada e terá novo projeto

Continua depois da publicidade

Festival de Dança de Joinville terá evento inspirado em movimento cultural criado nos EUA

Destaques do NSC Total