nsc

publicidade

Negócios em família

Filhos do casal Adelina Hess e Duda Souza, fundadores da camisaria Dudalina, herdam gene empreendedor dos pais

A camisaria Dudalina não é o único legado de Adelina Hess e Duda Souza. O casal gerou 16 filhos e, com eles, mais de uma dezena de empresas que devem ganhar novo fôlego com os R$ 650 milhões conquistados após a venda da companhia

21/12/2013 - 07h09 - Atualizada em: 21/12/2013 - 08h26

Compartilhe

Por Redação NSC

Pelas mãos de Adelina Hess de Souza, um lote encalhado de tecidos se transformou na gênese da maior camisaria da América Latina. Ao lado do marido, Duda - Rodolfo de Souza, no batismo -, ela trabalhou para erguer a Dudalina e transformá-la em uma importante indústria do setor. O sucesso dessa história de empreendedorismo levou o Warburg Pincus e o Advent International - dois fundos americanos - a desembolsar no começo do mês R$ 650 milhões por 72,2% do capital da empresa.

Mas o legado de Adelina e Duda vai além da Dudalina: o casal gerou 16 filhos e, com eles, transmitiu o gene empreendedor. Desde a infância, os onze meninos e as cinco meninas (todos batizados com nomes compostos) se revezavam para ajudar os pais a tomar conta dos negócios. Além da fábrica de camisas, os Hess de Souza administravam um pequeno comércio de secos e molhados, em Luis Alves, e, mais tarde, duas lojas em Balneário Camboriú.

Com a venda da participação da Dudalina para os fundos americanos, os irmãos terão mais tempo para dedicar aos próprios negócios - e recursos para investir. A longa negociação, que se estendeu por dois anos, levou em conta o valor necessário para bancar os sonhos dos herdeiros.

- Foi um bom negócio para todo mundo, ninguém ficou chateado. Foi uma negociação dura porque nós projetamos uma cifra, e até eles reconhecerem esse valor demorou um pouco - diz Armando César, sétimo filho do casal.

Trajetória empreendedora da família está marcada pelo setor têxtil e moda

Desde 2006 ele está à frente da indústria de tecidos RenauxView, em Brusque. Mas durante 12 anos ocupou o cargo de presidente da Dudalina. Ele assumiu a vaga no lugar do primogênito Anselmo José, 65 anos, e convenceu o conselho de administração a aceitar Sônia Regina, 57, na presidência em 2003. Hoje, além dela, apenas Rui Leopoldo, 53, trabalha na companhia - mas a empresa chegou a ter sete dos 16 irmãos na operação.

Herdeiros também se envolveram com política e ocuparam cargos públicos

Na lista de negócios criados pelos herdeiros está a marca de roupa casual Beagle, fundada pelo caçula Marco Aurélio, 44, a boutique Tida, de Florianópolis, além de diversos investimentos no setor hoteleiro e imobiliário. A família também já se envolveu com política e ocupou cargos na prefeitura de Blumenau e no governo de Santa Catarina. Agora surge um novo capítulo: o dinheiro da venda irá inaugurar um ciclo de criação de novos negócios que irão se perpetuar o nome do grupo no empreendedorismo catarinense.

Deixe seu comentário:

publicidade