Será lançado nesta sexta-feira, no Mezanino do Mercado Público de Lages, o livro “Serranias”, de Beto Castro. O livro retrata através de suas lentes, a beleza da Serra Catarinense, as paisagens, os traços, a cultura e o povo serrano. A ideia da obra surgiu após Castro ter um problema de saúde em que lhe foi recomendada atividade física. O evento é aberto ao público.

Continua depois da publicidade

Entre na comunidade exclusiva de colunistas do NSC Total

Veja registros do fotolivro ”Serranias”

SC tem dois entre os melhores vinhos tintos do Brasil

Continua depois da publicidade

— Peguei minha bicicleta e comecei a pedalar. No início pelo centro de Lages, passando a pedalar pela parte periférica da cidade. Nesses momentos fui percebendo as nuances da cada lugar, seus moradores e modo de vida. Passei a registrar. A empolgação foi crescendo e me vi pedalando até o interior do município. Coxilha Rica e outras localidades riquíssimas em cultura e histórias. É disso que se trata “Serranias”, aqueles modos de viver bem lageanos — explica Beto, que começou a fotografar em 1994, com fotos retrato, e após essas incursões de bicicleta, passou a retratar paisagens e arquitetura.

FOTOS: SC amanhece coberta de gelo e registra a menor temperatura do ano

— Eu quis resgatar a singularidade dos campos nativos ondulados, remanescentes de florestas de araucárias, rios e especialmente, o jeito de quem vive aqui — afirma ele.

Uma das características do livro, é de que grande parte das fotografias são em preto e branco.

— Pretendemos fazer com que os leitores realmente sintam-se e remetam-se a um passado de histórias e glórias. Que percebam cada detalhe e nuance desta viagem imaginária no tempo através do trabalho do Beto, dos seus registros e valorização do modo de vida das pessoas, da paisagem natural e da arquitetura da Serra Catarinense — ressalta a curadora do projeto Lucila Horn.

Esse projeto cultural, foi realizado pela produtora Fazer Gestão Cultural de Lages, através do Programa Nacional de Apoio à Cultura (PRONAC/Lei Rouanet) e conta com o patrocínio cultural da GTS do Brasil e Disauto Autopeças.

Continua depois da publicidade

— O que me deixa feliz é de que grande parte da obra, está sendo distribuída gratuitamente em escolas públicas, bibliotecas, centros culturais e entidades turísticas da Serra Catarinense. É a história indo sempre adiante — conclui Beto.

Leia também

Deputados de SC vão à Justiça em conjunto para derrubar a TPA de Bombinhas

Morador de cidade com 10 mil habitantes fatura bolada na quina da Mega-Sena em SC

Destaques do NSC Total