Há 30 anos, em 22 de setembro de 1994, seis amigos apareceram nas telas das televisões americanas e mudaram o mundo do entretenimento para sempre. “Friends”, criada por David Crane e Marta Kauffman, rapidamente se tornou um fenômeno cultural, cativando audiências com suas histórias envolventes, humor afiado e personagens cativantes.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

A série, que durou uma década, não só entreteve milhões ao redor do mundo, mas também influenciou a maneira como vivemos, nos relacionamos e até mesmo nos vestimos. Através das experiências de Rachel, Ross, Monica, Chandler, Joey e Phoebe, a sitcom conseguiu captar a essência de uma geração, refletindo e, ao mesmo tempo, moldando os valores e aspirações de seus espectadores.

Continua depois da publicidade

“Friends” não era apenas uma série sobre amigos em Nova York, era um retrato das nuances da vida jovem adulta nos anos 90 e 2000. Cada personagem representava aspectos diferentes da sua geração: Rachel Green (Jannifer Aniston) simbolizava a luta pela independência e busca por identidade, deixando sua vida privilegiada para perseguir uma carreira.

Ross Geller (David Schwimmer), com suas desventuras românticas, expunha as dificuldades dos relacionamentos modernos. Monica Geller (Courteney Cox) abordava o perfeccionismo e a pressão pelo sucesso. Chandler Bing (Matthew Perry) tratava de insegurança e autoaceitação. Joey Tribbiani (Matt LeBlanc) simbolizava a busca por sonhos, e Phoebe Buffay (Lisa Kudrow) nos lembrava da importância de ser fiel a si mesmo.

Entenda como a série “Friends” moldou uma geração

Continua depois da publicidade

O que foi a série “Friends”?

“Friends” foi uma série de comédia que estreou em 1994, criada por David Crane e Marta Kauffman, e exibida pela NBC até 2004. Situada em Nova York, a série acompanhava a vida de seis amigos próximos: Rachel Green, uma jovem que busca independência e sucesso na moda; Ross Geller, um paleontólogo com problemas românticos; Monica Geller, uma chef perfeccionista; Chandler Bing, conhecido por seu humor sarcástico e inseguranças; Joey Tribbiani, um ator carismático e sonhador; e Phoebe Buffay, uma musicista excêntrica e espirituosa.

Lançada no contexto da década de 90, “Friends” refletia e influenciava a cultura jovem da época, abordando temas como amizade, amor, trabalho e os desafios da vida adulta, tornando-se um fenômeno cultural que moldou gerações.

Rachel Green (Jennifer Aniston)

Em “Friends”, Rachel representou a busca por independência e autoconhecimento, aspectos centrais para muitos jovens nos anos 90 e 2000. Inicialmente, a jovem abandona uma vida confortável e dependente para se tornar financeiramente independente e perseguir uma carreira na moda. Sua jornada reflete o desejo de muitos jovens de romper com expectativas familiares e encontrar seu próprio caminho, enfrentando os desafios de construir a vida por conta própria.

Continua depois da publicidade

Ross Geller (David Schwimmer)

Exemplificou as dificuldades e complexidades dos relacionamentos modernos. Como um paleontólogo apaixonado por seu trabalho, Ross também vivenciou inúmeros altos e baixos em sua vida amorosa, incluindo divórcios e um romance complicado com Rachel. Sua história em “Friends” aborda os desafios de manter relacionamentos significativos em um mundo em constante mudança e as dificuldades de equilibrar carreira e vida pessoal, temas muito presentes para sua geração.

Monica Geller (Courteney Cox)

Trouxe à tona questões sobre perfeccionismo e a pressão por sucesso, tanto pessoal quanto profissional. Como uma chef dedicada, Monica enfrentava constantemente a necessidade de provar seu valor, tanto para si mesma quanto para os outros. Ao longo de “Friends”, sua obsessão por organização e controle é um reflexo da pressão para alcançar a excelência, algo com o qual muitos jovens adultos da época se identificavam, especialmente no contexto de um mercado de trabalho competitivo.

Chandler Bing (Matthew Perry)

Durante a sitcom “Friends”, o persongaem representou temas como insegurança e autoaceitação, mascarados por seu humor autodepreciativo. Trabalhando em um emprego que não gostava inicialmente, Chandler lutava contra sentimentos de inadequação e buscava a aceitação de seus amigos e parceiros. Seu uso constante de piadas para lidar com situações difíceis é um retrato das maneiras pelas quais muitos jovens adultos enfrentam suas próprias inseguranças e a busca por um propósito na vida.

Continua depois da publicidade

Joey Tribbiani (Matt LeBlanc)

Simbolizou a perseverança e a busca por sonhos aparentemente inalcançáveis. Como um ator tentando fazer sucesso em Nova York, Joey enfrentava rejeições constantes e a incerteza de uma carreira instável. No entanto, sua atitude otimista e determinação ao longo das 10 temporadas de “Friends” refletiam a resiliência necessária para perseguir paixões, mesmo diante de dificuldades, algo que reverberou profundamente com muitos jovens que também estavam lutando para alcançar seus objetivos.

Phoebe Buffay (Lisa Kudrow)

Manifestou a importância de ser fiel a si mesmo, destacando a valorização da autenticidade e da individualidade. Com seu passado conturbado e sua personalidade excêntrica, Phoebe não se encaixava nos moldes tradicionais, mas abraçava sua singularidade com orgulho. A independência e espírito livre dessa personagem em “Friends” capturavam a essência de uma geração que valorizava a autoexpressão e a liberdade de ser diferente, inspirando muitos a aceitarem e celebrarem suas próprias peculiaridades.

Leia mais

Como está o elenco de “Uma Sexta-Feira Muito Louca”, 20 anos depois de seu lançamento

Como está o elenco de “As Patricinhas de Beverly Hills”, quase três décadas após a estreia

As gírias da década de 1960 que você pode nem saber o que significam

Destaques do NSC Total