nsc
an

Consequências

Funcionária que inventou ataque é demitida de escola em Massaranduba

Ela mentiu ao dizer que foi atacada durante uma suposta tentativa de furto ao colégio

21/05/2021 - 14h47

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Escola onde teria acontecido o ataque à funcionária em Massaranduba
Escola onde teria acontecido o ataque à funcionária em Massaranduba
(Foto: )

A funcionária de uma escola de Massaranduba, no Norte de SC, que inventou ter sido atacada durante uma suposta tentativa de furto, foi demitida do colégio nesta semana. O caso também já foi investigado pela Polícia Civil e a mulher responderá por falsa comunicação de crime.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

A dispensa da servidora, que atuava como zeladora da escola, foi confirmada pela Secretaria de Estado da Educação. O órgão não soube informar há quanto tempo a mulher trabalhava na escola, já que não tinha vínculo com o Estado porque foi contratada diretamente pela Associação de Pais e Professores (APP).

A demissão aconteceu após a servidora admitir que inventou o ataque dentro da escola na última segunda-feira (17). Ela afirmou que teria sido atacada por um homem armado que tentou furtar o colégio. A funcionária foi encontrada com cortes superficiais na perna e no abdômen, causados por um canivete.

Durante o depoimento à Polícia Militar, a mulher apresentou incoerências no relato e acabou admitindo ter mentido sobre a invasão. Ela também se autolesionou para dar mais veracidade à história.

> Funcionária disse que não sabia da gravidade ao forjar crime em Massaranduba

Ela confirmou a mentira durante depoimento à Polícia Civil. O delegado Diones Pavoni de Freitas concluiu a investigação do termo circunstanciado. A mulher responderá por comunicação falsa de crime ou de contravenção, previsto no artigo 340 do Código Penal. A pena prevista em lei é de até seis meses de detenção.

Como se trata de uma infração de menor potencial ofensivo, com pena inferior a dois anos de prisão, o processo pode ser respondido diretamente no Fórum. De acordo com o delegado, a mulher deverá comparecer nos próximos dias em uma audiência para responder criminalmente à invenção do suposto ataque.

Leia também:

> DNIT pede licença ambiental para tentar retomar obra parada há dez anos em Joinville

> Câmara de Joinville vai reforçar pedido de repasse a hospital; chances são remotas

Colunistas