Os oito editais que compõem o primeiro Concurso Público Nacional Unificado (CPNU) foram lançados pelo governo Lula (PT) nesta quarta-feira (10). A iniciativa, também chamada de “Enem dos concursos” vai selecionar, de uma só vez, 6.640 novos servidores para 21 órgãos públicos federais.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

O Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos (MGI), que coordena o concurso, anunciou detalhes pouco antes dos editais irem ao ar no Diário Oficial da União (DOU), o que ocorreria às 17h.

Cada edital representa um bloco temático do processo de seleção, com mais de um cargo em cada um. Assim, candidatos poderão concorrer a mais de uma função desde que elas pertençam ao mesmo bloco.

Um engenheiro civil que escolha o bloco 1 (Infraestrutura, Exatas e Engenharias), por exemplo, poderá concorrer ao mesmo tempo a cargos de analista de infraestrutura do MGI, engenheiro da Advocacia-Geral da União (AGU) e tecnologista do Ministério da Saúde, entre outras funções.

Continua depois da publicidade

Como se inscrever no “Enem dos concursos”

As inscrições estarão abertas entre 19 de janeiro e 9 de fevereiro, exclusivamente pela plataforma Gov.br. Será cobrada uma taxa de R$ 60 para vagas de nível médio e de R$ 90 para as que exigem nível superior. Haverá ainda isenção dos valores aos candidatos que integram o CadÚnico, aos que já tenham sido contemplados pelo Fies ou ProUni, e aos que tenham realizado transplante de médula óssea.

No momento da inscrição, deverá ser feita a escolha pelas carreiras, que estarão divididas nos oito blocos temáticos. Quem optar por concorrer a mais de um cargo não irá pagar qualquer valor a mais por isso. O candidato precisará listar, contudo, as funções nas quais tem interesse em ordem de preferência, para haver prioridade em uma possível chamada, que será baseada na nota alcançada.

Como será o processo seletivo do CPNU

O CPNU terá provas aplicadas em dois turnos, de seis horas somados, com avaliações objetivas e dissertativas, por área de atuação, em 5 de maio. Os candidatos poderão escolher entre 220 cidades, de todas as unidades da federação, para fazê-las. São esperados de 2 milhões a 3 milhões de participantes.

Durante a manhã, candidatos a vagas de nível superior deverão responder a 20 questões de conhecimentos gerais em prova objetiva e realizar teste discursivo de conhecimento específico, enquanto concorrentes de nível médio farão redação e prova objetiva com 20 questões.

Continua depois da publicidade

À tarde, será aplicada prova objetiva de 50 questões específicas aos optantes de nível superior, enquanto os candidatos a vagas de nível médio responderão a 40 questões em prova objetiva.

A divulgação dos resultados das provas objetivas e das avaliações preliminares das provas discursivas e redações ocorrerá no dia 3 de junho. Os resultados finais serão anunciados em 30 de julho. Em 5 de agosto, terá início a etapa de convocação para posse e realização de cursos de formação.

O “Enem dos concursos” terá 5% do total de vagas de cada um dos cargos reservados a candidatos com deficiência e 20% a concorrentes negros, além de 30% das vagas para a Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) dedicados às pessoas de origem indígena.

Veja as vagas de cada bloco temático do concurso unificado

Continua depois da publicidade

Leia mais

Concursos públicos em SC: veja vagas abertas em janeiro, salários e prazo de inscrição

Petrobras abre concurso com mais de 6,4 mil vagas em sete estados do país

Destaques do NSC Total