A Divisão de Proteção Animal (DPA) da Polícia Civil de Santa Catarina registrou 1.243 denúncias de maus-tratos a animais e já efetuou 10 prisões em seis meses de atuação, na Grande Florianópolis. Além disso, a Divisão que tem por objetivo garantir o bem-estar animal já instaurou 77 inquéritos e realizou 39 operações envolvendo 395 animais, que resultaram na apreensão de 11 armas e 345 munições.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total pelo Google Notícias

A delegada Mardjoli Valcareggi considera que os números refletem o comprometimento da equipe com o bem-estar dos bichinhos.

— Dada à expressividade da demanda, é essencial a atuação em rede para que consigamos dar boas respostas à causa animal — afirma.

Como funciona a ação da DPA

A equipe da DPA faz outra ação relevante, chamada Verificação Preliminar de Informações (VPA). Quando alguém faz uma denúncia, os policiais da Divisão vão até o lugar para verificar a veracidade da informação.

Continua depois da publicidade

Esse procedimento é fundamental na proteção dos animais porque é também um momento educativo para o tutor, uma vez que as equipes do bem-estar animal e da delegacia orientam o responsável sobre eventuais adaptações que precisam ser feitas para garantir o bem-estar dos bichinhos. Já foram realizadas mais de 400 dessas visitas.

A DPA desempenha ainda um papel fundamental ao educar as crianças nas escolas. Através de palestras, os policiais ensinam a importância de respeitar os animais, como cuidar deles, identificar maus-tratos e onde buscar ajuda.

Nas atividades escolares, as crianças aprendem de forma divertida com Pingo, o cão da equipe da Divisão Especializada. Os alunos também recebem o distintivo da DPA, tornando-se defensores dos direitos dos animais.

Leia também

PF teve pistola furtada durante impasse na barragem de José Boiteux

Mulher que matou marido coronel da PM em SC é condenada em novo julgamento

Sumiço de patinhos da UFSC comove comunidade e levanta hipótese

Destaques do NSC Total