nsc
dc

Pais e filhos

Guarda compartilhada: animação catarinense aborda o tema

O publicitário João Ricardo Costa produziu três episódios da série Sonhos de Isah, e através de um financiamento coletivo tenta viabilizar um novo curta, que aborda o tema de forma lúdica 

08/12/2019 - 06h13

Compartilhe

Por Janaína Laurindo
Trecho da animação “Sonhos de Isah”
Trecho da animação “Sonhos de Isah”
(Foto: )

A realidade que enfrentou após a separação, em 2012, levou o publicitário catarinense João Ricardo Costa a produzir o curta-metragem “Sonhos de Isah”. A animação conta a história de uma menina que não tem o convívio diário com o pai, mas que nos sonhos consegue manter a proximidade com a figura paterna. O primeiro episódio foi lançado em 2017. Em um financiamento coletivo, lançado em novembro, o diretor tenta produzir o quarto episódio da série.

Todas as produções foram feitas através de vaquinhas on-line. O reconhecimento e a participação em vários festivais educativos no Brasil e também em outros países como México, Peru, Equador e Colômbia, foram o diferencial na produção da série.

– As pessoas acreditaram no projeto. Encontrei um ilustrador que comprou a ideia e consegui uma equipe para produzir – comenta João, que tem especialização em cinema, o que o fez ter contato com pessoas do meio e facilitou a produção.

Ricardo com os primeiros desenhos.
(Foto: )

De forma lúdica, João apresenta a temática da guarda compartilhada, que desde 2014, com a Lei 13.058, sancionada no governo de Dilma Rouseff, tornou-se regra.

– A guarda compartilhada é quando ambos os pais são responsáveis financeiramente pelo menor, assim como são responsáveis por resolver todas as peculiaridades da criança ou adolescente em conjunto – explica a advogada Rafaela Almeida, que também tem formação em psicologia.

De acordo com a lei, a obrigatoriedade acontece mesmo sem acordo entre os pais, com exceção de quando um dos pais não deseja a guarda do menor. Ainda nesses casos, o juiz pode exigir o compartilhamento, se entender que há condições de manter essa relação sem prejuízo para a criança.

Embora o país apresente um aumento significativo no registro de guarda compartilhada – entre 2014 e 2017 o número triplicou, de acordo com as Estatísticas do Registro Civil, do IBGE, passando de 7,5% dos casos de divórcio de casais com filhos menores para 20,9% –, João ainda enfrenta dificuldade para aumentar os dias ao lado da filha, hoje com nove anos.

– Queria a quarta-feira e as férias escolares, mas só tenho os finais de semanas alternados – relata o pai e diretor da animação, que tem como objetivo na produção da série, mostrar para a filha o desejo de estar ao lado dela e também ser referência no assunto, ajudando a trazer o tema para a discussão.

Festival internacional

Nesse sentido, João tem atingido o propósito. O mais recente convite veio do Ministério da Cultura de Guine Equatorial. O curta Sonhos de Isah foi selecionado para participar do festival de música e cinema do país africano. No Brasil, a série será exibida nas escolas da rede pública de Valparaíso, em Goiás. Em Santa Catarina, a produção participou do Festival Internacional de Cinema de Balneário Camboriú deste ano, e também esteve no Festival de Cinema de Jaraguá do Sul, no ano passado.

Segundo a psicóloga e psicanalista infantil Carla Caroline Santos, a abordagem do tema de forma lúdica é fundamental para que a criança encontre um lugar de fala.

– É essencial! Quanto mais possibilidade a criança tenha de falar sobre o que está acontecendo será melhor para ela. E, geralmente, a criança fala nas escolas, ou em grupos da rotina dela. A informação é sempre muito bem-vinda. Porque a ideia é que a criança possa falar e que quando ela se veja, ainda que não esteja em alienação parental, mas que consiga se ver em sofrimento e fale – argumenta a especialista.

As aventuras da personagem Isah

Cada episódio retrata o universo infantil através dos sonhos da personagem Isah, apresentando os anseios e as alegrias especialmente para filhos de casais separados, evidenciando os benefícios que uma divisão equilibrada do tempo de convívio com ambos pais traz para a criança.

— Quando amamos alguém, podemos guardá-lo sempre perto de nós — diz o papai nas primeiras cenas do primeiro episódio, onde menina Isah encontra seu pai na casinha de boneca. No sonho eles vivem juntos aventuras em uma nave espacial.

No segundo episódio a menina visita o baú do papai, no sótão eles fazem uma viagem no tempo até a década de 1940, onde brincam com brinquedos da época e falam sobre como a guarda dos filhos funcionavam nesse período, onde os homens tinham prioridade.

Na terceira animação, pai e filha viajam para Dinamarca, onde a guarda compartilhada é uma realidade desde a década de 1990. No próximo episódio, ainda em fase de captação de recurso, Isah mostrará uma das inúmeras situações onde o convívio igualitário com seus pais seria benéfico na sua vida. Para realizar este novo episódio, Jorge espera arrecadar 4 800 reais. Para ajudar o projeto é necessário acessar o site catarse.me.

Colunistas