nsc
hora_de_sc

Polícia 

Homem acusado de matar família em Alfredo Wagner irá a júri popular em março 

Acusado permanece preso desde a época do crime no Presídio Regional de Lages, na Serra Catarinense

15/02/2020 - 15h15

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Reconstituição no local do crime foi um dos primeiros passos da investigação
Reconstituição no local do crime foi um dos primeiros passos da investigação
(Foto: )

O julgamento do homem acusado do triplo homicídio cometido contra uma família em Alfredo Wagner, na Grande Florianópolis, no dia 9 de agosto do ano passado, foi marcado pela Justiça. A sessão do Tribunal do Júri vai ocorrer no dia 26 de março, na Comarca de Bom Retiro.

O júri ocorre sete meses após o crime. O acusado tem 44 anos e foi denunciado pelo Ministério Público por matar uma família por causa de uma dívida. O sorteio dos jurados que vão compor o Conselho de Sentença ocorre no dia 10 de março. No dia da sessão de júri, serão distribuídas senhas para ingresso no Salão do Júri.

O acusado está detido no Presídio Regional de Lages desde o crime. Segundo a denúncia, primeiro ele teria matado a mulher com golpes na região da cabeça. Em seguida, e da mesma forma, tirou a vida do filho do casal, de apenas 8 anos. Minutos depois de cometer os dois homicídios, o réu teria assassinado a terceira vítima, um argentino de 67 anos. O corpo do idoso foi encontrado na estrada que dá acesso à propriedade.

Os homicídios têm as qualificadoras do motivo fútil, uma vez que teriam sido cometidos por desavenças em virtude de uma dívida do réu com o casal, recurso que dificultou a defesa das vítimas, pois elas não esperavam as agressões e não tiveram chance de se defender, além de meio cruel, por usar um instrumento contundente para golpear repetidas vezes nas cabeças dos três.

Em caso de condenação, a pena poderá ser majorada porque uma das vítimas tinha menos de 14 anos e outra mais de 60.

A Justiça aceitou a denúncia no dia 15 de agosto. Na primeira semana de outubro, o juízo fez a audiência de instrução, quando ouviu 11 testemunhas de acusação e oito de defesa, além de promover o interrogatório do réu. No fim do mesmo mês, o juiz Edison Alvanir Anjos de Oliveira Júnior lavrou sentença de pronúncia e determinou júri popular para o acusado.

* Com informações da assessoria de imprensa do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJ-SC)

Deixe seu comentário:

Últimas notícias

Loading interface... Todas de Polícia

Colunistas