nsc
an

Investigação

Homem morto pela esposa em Araquari não tinha histórico de violência, diz polícia

Mulher confessou crime à polícia três dias após assassinato, em abril, mas disse que intenção não era matar

12/05/2021 - 13h25

Compartilhe

Patrícia
Por Patrícia Della Justina
Na foto, ao lado da mãe, Áurea
Na foto, ao lado da mãe, Áurea
(Foto: )

A Polícia Civil ainda trabalha para finalizar o inquérito de investigação sobre a morte de Robson Cardoso, registrada em 17 de abril, em Araquari, no Norte de Santa Catarina. A mulher dele confessou o crime três dias depois, após comparecer na delegacia na presença de seu advogado. Segundo a polícia, ele não tinha registros policiais ou judiciais, nem mesmo comportamento agressivo.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

De acordo com o delegado Eduardo de Mendonça, ela permanece respondendo em liberdade, uma vez que não houve flagrante e ela se comprometeu a colaborar com as investigações. 

Conforme a Polícia Civil, Robson não tinha passagens policiais, nem mesmo registros judiciais por violência doméstica. Ainda de acordo com o depoimento de pessoas próximas aos envolvidos, ele não apresentava comportamento agressivo. 

> Servidores de Joinville insistem em retirada de projetos sobre reforma da Previdência em audiência pública

- As pessoas que nós ouvimos disseram que não teve nenhum tipo de briga entre eles no local, no dia em que aconteceu. Eles estavam em uma festa e foram embora bem tranquilamente. Ela falou que tiveram uma discussão de casal, mas ela não tinha a intenção de matá-lo. Falou que queria que ele saísse ali do local, mas não alegou legítima defesa, nem que ele queria matar ela ou coisa do tipo - completa o delegado. 

A polícia ainda aguarda os resultados dos laudos cadavéricos para analisar o motivo da morte. Dessa forma, a polícia prevê a finalização do inquérito civil no fim deste mês.

Relembre o caso

Robson Cardoso foi assassinado e encontrado morto no meio da rua no bairro Itinga, em Araquari, no Norte de Santa Catarina, na madrugada do dia 17 de abril. O motoboy Robson Cardoso morreu após chegar ao Pronto Atendimento de Araquari, e a principal suspeita do crime era a esposa dele.

Ela confessou o crime nesta terça-feira (20), após comparecer na delegacia na presença de seu advogado. Quando Robson foi encontrado, a jovem alegou que ele poderia ter participado de uma briga na rua. No entanto, testemunhas afirmaram que suspeitavam que ela o tivesse golpeado. Ele saiu de casa sangrando antes de cair do outro lado da rua.

Colunistas