nsc

publicidade

Comunidade

Hortas comunitárias em terrenos públicos recebem apoio técnico em Joinville

Nos espaços são cultivados pela comunidade diversos tipos de verduras, frutas e temperos 

18/09/2018 - 05h58 - Atualizada em: 18/09/2018 - 08h31

Compartilhe

Por Redação NSC
Horta comunitária Girassol, foi criada há nove anos no bairro Jardim Iririú, na zona Leste
Horta comunitária Girassol, foi criada há nove anos no bairro Jardim Iririú, na zona Leste
(Foto: )

Três espaços voltados para o cultivo de hortaliças recebem apoio técnico em Joinville. Em um dos locais, no bairro Jardim Iririú, na zona Leste de Joinville, um terreno de aproximadamente 3 mil m² ajuda a abastecer a mesa de catorze famílias com verduras e legumes cultivados pela própria comunidade. Anteriormente, o espaço era tomado pelo mato e usado para despejo irregular de lixo. Agora, dá lugar a horta comunitária Girassol, criada há nove anos.

Assim como ela, existem outras duas hortas comunitárias que ocupam terrenos pertencentes ao município - localizadas nos bairros Jardim Sofia e Paranaguamirim. Os locais recebem apoio técnico da Prefeitura de Joinville, por meio Unidade de Desenvolvimento Rural (UDR) da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente (SAMA).

— A UDR acompanha o trabalho das hortas comunitárias há vários anos. Semanalmente, nossos técnicos visitam os espaços e auxiliam com orientações sobre técnicas de plantio e manutenção da horta — explica Carlos Alberto do Amaral, gerente da UDR.

Leia mais notícias de Joinville e região.

Espaços precisam de autorização para funcionar

Para a implantação de hortas em terrenos públicos é necessária a permissão de uso concedida pelo governo municipal. A autorização deve ser solicitada à Unidade de Controle Patrimonial da Secretaria de Infraestrutura Urbana (SEINFRA), por meio de grupos organizados, como associações de moradores ou da própria Associação das Hortas Comunitárias de Joinville.

O órgão municipal verifica a disponibilidade do espaço ou se há algum projeto destinado ao local. Concedida à autorização, a comunidade poderá utilizar o terreno para a implantação da horta comunitária. A estruturação do espaço, limpeza do terreno, colocação de cerca, montagem dos canteiros, coberturas, implantação de sistema de compostagem e qualquer outro investimento necessário, são de responsabilidade da entidade ou membros do grupo que obtiveram a permissão de uso.

A forma de funcionamento das hortas comunitárias é definida por cada grupo, que escolhe os seus representantes e coordenadores. Na horta Girassol, por exemplo, a manutenção do espaço e a produção são compartilhadas igualmente entre os integrantes do grupo. Cada uma das famílias tem o compromisso de dedicar à horta, no mínimo, quatro horas semanais.

A manutenção do espaço e a produção são compartilhadas igualmente entre os integrantes do grupo
A manutenção do espaço e a produção são compartilhadas igualmente entre os integrantes do grupo
(Foto: )

Diversidade no cultivo

Entre os itens cultivados – totalmente sem uso de agrotóxicos – estão rabanete, diferentes variedades de alface, cebolinha, couve, couve-flor, salsinha, almeirão, repolho, açafrão, batata-doce, abóbora, abobrinha, pepino, tomate, quiabo, milho verde, rúcula, temperos como manjericão, alecrim, hortelã, além de frutas como banana, laranja e limão.

— Fazemos a colheita e a distribuição sempre às quartas-feiras e sábados, com todos presentes. Não estipulamos que quantidade de produtos cada um pode levar para casa. Valorizamos a questão da ética, confiança e da igualdade — conta Otanir Matiola, coordenador da horta Girassol.

O excedente da produção que não é consumida pelas famílias do grupo, é comercializado e a renda é aplicada em melhorias do próprio espaço.

— Com o que vendemos, já instalamos um sistema de captação de água da chuva para irrigação do terreno e construímos um pequeno depósito — esclarece o coordenador.

Além de ocupar o terreno de forma produtiva e saudável, as hortas comunitárias promovem melhorias sociais, garantindo maior qualidade de vida aos participantes. Nos locais, alunos das escolas da rede municipal e usuários dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS) também realizam atividades de cunho pedagógico e terapêutico.

Joinville ainda conta com hortas comunitárias similares instaladas em espaços particulares, fora o cultivo em espaços públicos.

Leia mais:

MP e polícia realizam operação para combater desmatamento no Norte de SC

Deixe seu comentário:

publicidade