O Hospital Santo Antônio, referência em atendimento pediátrico no Vale do Itajaí, está em busca de R$ 14,2 milhões para dobrar a quantidade de leitos de UTI Neonatal. O valor seria suficiente para reformar uma área de pouco mais de mil metros quadrados e abrir espaço para receber mais 10 crianças na ala de terapia intensiva em Blumenau. 

> Clique aqui e receba notícias do Vale do Itajaí pelo WhatsApp

O hospital tem 10 leitos de UTI Neonatal — destinados a bebês com até 28 dias de vida —, mas a demanda é maior e deve crescer mais com a conclusão da readequação do centro obstétrico. De acordo com o presidente da Conselho Curador, Tadeu Avi, com a obra pronta, a expectativa é aumentar a quantidade de partos na unidade.

Hoje são, em média, 300 por mês e como o HSA é referência em gestação de alto risco para 14 cidades da região, o reflexo é direto na unidade de terapia intensiva. Atualmente, o hospital opera mensalmente com uma taxa de ocupação 99% e as internações costumam durar cerca de 20 dias.

Se os 10 leitos novos projetados já existissem, SC não teria recém-nascidos à espera de uma vaga. Nesta segunda-feira (30), segundo o Estado, seis bebês aguardam na fila. Isso sem contar as 13 crianças que estão à espera de um leito pediátrico, destinado a quem tem até 12 anos. 

Continua depois da publicidade

Os projetos para ampliação da UTI Neonatal do Santo Antônio estão prontos e passam por ajustes, mas a mobilização para conseguir o recurso já começou, garante Avi. O dinheiro deve vir do governo do Estado. Neste mês um ofício assinado pela Secretaria Municipal de Promoção da Saúde reiterou o pedido ao governador Carlos Moisés.

O documento estima R$ 10,9 milhões para obras físicas e cerca de R$ 3,3 milhões para equipamentos. À reportagem do Santa, secretário Municipal de Promoção da Saúde, Marcelo Lanzarin disse que a expectativa é de que os novos leitos sejam abertos até o fim deste ano.

Entenda o cenário

Desde abril Santa Catarina enfrenta falta de leitos de UTI para crianças. As síndromes respiratórias são apontadas como principais responsáveis pela sobrecarga no sistema público de saúde. 

O cenário crítico levou o governo do Estado a traçar estratégias para tentar reverter a situação. Entre as medidas anunciadas há duas semanas está a compra de vagas em hospitais particulares.

Continua depois da publicidade

Na semana passada, porém, o quadro ficou ainda mais grave e uma fila de espera foi criada. 

Na manhã desta segunda-feira (30), o governo de SC informou a abertura de 68 novos leitos de UTI pediátrica. A expectativa é de que sejam ativados dentro do prazo de 10 dias, já que os hospitais selecionados ainda precisam ser equipados e montar as equipes. 

As vagas são gerenciadas pela Secretaria de Estado da Saúde e os pacientes de Blumenau, por exemplo, podem ser encaminhados para outras regiões onde houver leito. 

Confira abaixo onde serão abertos os leitos de UTI

  • Hospital Infantil Joana de Gusmão, em Florianópolis, 9 leitos neonatais;
  • Hospital Pequeno Anjo, em Itajaí, 6 leitos pediátricos; 
  • Hospital Azambuja, em Brusque, 8 neonatais e 2 pediátricos; 
  • Hospital e Maternidade Jaraguá do Sul, 2 pediátricos; 
  • Hospital Infantil Jesser Amarante Faria, em Joinville, 10 pediátricos; 
  • Hospital Regional Alto Vale, em Rio do Sul, 4 neonatais; 
  • Hospital Regional de Araranguá, 5 pediátricos; 
  • Hospital Materno Infantil Santa Catarina, em Criciúma, 7 neonatais; 
  • Hospital Regional de São José, 10 neonatais;
  • Hospital Nossa Senhora da Conceição, em Tubarão, 5 pediátricos.

Leia também

> SC investiga primeiro caso suspeito de varíola dos macacos

> Crise das UTIs em SC faz governo buscar leitos pediátricos em outros Estados

Destaques do NSC Total