Um hotel cinco estrelas acaba de ser inaugurado em Florianópolis. A hospedagem inclui uma estrutura com playground externo e interno, espaços de convivência, dormitórios climatizados e, sem taxas adicionais, serviço de recreação. Há, porém, um detalhe: os hóspedes não são humanos, e sim gatos.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do NSC Total no Google Notícias

O Gato Hotel foi inagurado em dezembro de 2023, no bairro Carvoeira, com a proposta de hospedar os gatos sem deixá-los confinados e separados uns dos outros, como costuma ocorrer em outros hotéis para felinos. A proprietária, Michelle Quint, se inspirou em experiências asiáticas — como os famosos cat cafés — para promover a sociabilidade entre os animais.

— A ideia é que a hospedagem seja uma experiência para eles. Eu não queria que isso aqui fosse apenas um local para os tutores deixarem os gatos e irem viajar tranquilos. Eu queria que o gato curtisse ficar aqui. Que fosse a Disneylândia dos gatos — brinca Michelle.

No espaço, os bichanos têm seus dormitórios individuais, mas as portas ficam abertas para que eles explorem o ambiente, interajam entre si e participem dos momentos de recreação promovidos pela equipe do hotel. A ideia dá certo: no dia em que a reportagem visitou o hotel, os gatos estavam circulando livremente e convivendo sem brigar.

Continua depois da publicidade

A empresária conta que o espaço em Florianópolis vem servindo como um laboratório para testar o senso comum de que os gatos são individualistas. Ela já trabalhava com hospedagem de cães e gatos, no Norte da Ilha, e antes de abrir o Gato Hotel fez cursos de psicologia felina.

— A maioria dos gatos que vêm são de apartamento, nunca viram outro gato. Aí eles vêm pra cá, estranham um pouco mas depois querem estar perto uns dos outros. Os gatos são animais sociáveis. Se você respeita o tempo deles, a personalidade e individualidade de cada um, eles não vão entrar numa briga — relata a proprietária.

Estrutura 5 estrelas

Os ambientes do Gato Hotel agradam também os olhos dos humanos, como prova o sucesso do estabelecimento nas redes sociais. Um vídeo no TikTok chegou a 24 mil pessoas, com comentários curiosos sobre se a proposta dá certo, dúvidas sobre a hospedagem e perguntas do tipo: “aceita humanos também?”.

O sucesso nas redes tem a ver com o apelo visual do hotel, criado pela arquiteta Emanuella Wojcikiewicz. Cada espaço é temático. O playground interno, por exemplo, é dividido ao meio: metade da decoração lembra um “hotel na montanha” e outra um “resort na praia”.

Continua depois da publicidade

Também há o espaço de day use, que ainda não foi inaugurado, onde os tutores poderão levar os seus gatos para passar um dia no hotel, em um espaço que permite home-office. A decoração tem as Olimpíadas como tema e o local funciona como uma “academia” para gatos, com várias prateleiras e até uma roda de corrida para os gatos correrem, tipo hamster.

Fora os espaços temáticos, o hotel tem três quartos, que reúnem as cabines individuais dos hóspedes e são ligados por um “túnel” que leva até o playground externo. Essa parte é toda gradeada, para manter a segurança dos pets.

No Gato Hotel, os hóspedes precisam apresentar exames negativos de FeLV (Feline Leukemia Virus, doença conhecida como a leucemia felina), usar antipulgas e estar com as vacinas em dia. As diárias custam R$ 75, na baixa temporada, e R$ 85, na alta temporada. Já a modalidade day care, de creche, tem preços que variam conforme a frequência — o plano mensal, com um dia no Gato Hotel por semana, custa R$ 260.

Veja fotos do hotel felino

Continua depois da publicidade


Mercado em ascensão

O Gato Hotel é mais um expoente do mercado pet, que em Santa Catarina registrou um crescimento de 120% entre os anos de 2022 a 2024, segundo dados do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado (CRMV/SC). O segmento deve movimentar o equivalente a R$ 64,3 bilhões em 2024 no Brasil, com uma taxa anual de crescimento de 15%, segundo levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet).

Segundo Michelle, a ideia do hotel surgiu após ela notar uma uma lacuna no mercado para um lugar dedicado exclusivamente aos gatos. Entre a idealização do projeto e a sua inauguração, passou-se menos de um ano.

Segundo ela, o negócio vem sendo um sucesso desde que abriu. Ela tem hóspedes recorrentes, e o projeto vem crescendo muito no “boca a boca”, além das redes sociais. Agora, ela está planejando a ampliação do espaço, com mais dormitórios. O sonho também vai além:

— Hoje, meu sonho é poder ter um Gato Hotel em cada cada estado do Brasil — afirma a empreendedora.

Leia também

Número de estabelecimentos do mercado Pet em SC cresce 120% em dois anos

Veja quando vacinar cachorros e gatos

Mais de 780 mil tainhas são pescadas em Santa Catarina, superando safra de 2023

Destaques do NSC Total