nsc
an

Clima

Joinville acumula em três dias toda a chuva prevista para dezembro

Foram 204 milímetros registrados ao longo das últimas 72 horas, segundo a Defesa Civil

07/12/2020 - 08h09

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Muro caiu sobre um carro na zona Sul
Muro caiu sobre um carro na zona Sul
(Foto: )

Joinville registrou nas últimas 72 horas mais do que todo o volume de chuva previsto para o mês de dezembro. Segundo a Defesa Civil, foram 204 milímetros desde a sexta-feira (4) - a média para o mês no município é de 190 milímetros. Também foram registradas ocorrências de quedas de muro, árvore e de barreira. 

> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

A segunda-feira (7) começou com uma queda de muro sobre um carro na rua Armazén, na zona Sul de Joinville. Na mesma região, a Defesa Civil vai vistoriar uma casa no bairro Paranaguamirim, em que a chuva causou a queda de um muro que atingiu a parede da residência. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

No último domingo, a Defesa Civil também já havia registrado uma queda de barreira e árvore na Estrada Rio do Júlio, entre Joinville e Schroeder. Além disso, devido ao solo encharcado, por causa do volume de água registrado nos últimos dias, a atenção é para casos de deslizamentos.

Segundo previsão meteorológica, a chuva deve permanecer até terça-feira (8). Em caso de emergência, a orientação do município é entrar em contato com a Defesa Civil pelo telefone 199, ou Corpo de Bombeiros Voluntários, pelo telefone 193.

> Puchalski: Umidade do mar ainda influencia o tempo em parte de SC

Muro caiu sobre a parede de uma casa no Paranaguamirim
Muro caiu sobre a parede de uma casa no Paranaguamirim
(Foto: )

Recomendações da Defesa Civil

- Deslizamentos de terra: atenção a qualquer movimento de terra ou rochas próximas às residências, inclinação de postes e árvores e rachaduras em muros ou paredes. Neste caso, é recomendável que a família saia de casa e acione a Defesa Civil do Município, pelo telefone 199, ou Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193.

- Tempestades: proteja-se em local abrigado, longe de placas, de árvores, de postes de energia e de objetos que podem ser arremessados. Se não encontrar um abrigo, agache-se com os pés juntos, com a cabeça encostada em seu peito ou entre os joelhos e as mãos cobrindo suas orelhas ou apoiadas em seus joelhos. Se estiver na praia, jamais fique na água. Se estiver em casa ou qualquer outro local abrigado, desligue os aparelhos eletrônicos, não use o telefone, fique longe das janelas e lembre-se, o banheiro em alvenaria é o melhor local durante uma tempestade.

- Alagamentos/inundações: evitar o contato com as águas e não dirigir em lugares alagados. Evitar transitar em pontilhões e pontes submersas e cuidado com crianças próximas de rios e ribeirões.

- Enxurradas: não fique próximo às margens de rios e ribeirões, principalmente em regiões de relevo acentuado, montanhoso e pequenos vales, pois muitas vezes há temporais intensos sobre os topos e cabeceiras, gerando repentinamente grande quantidade de água num curto espaço de tempo. Este tipo de evento adverso apresenta grande poder destrutivo, podendo arrastar veículos, pessoas, animais e mobílias por vários quilômetros. A força das águas pode ainda provocar o rolamento de blocos de pedras, arrancar árvores, destruir edificações e causar deslizamentos de terra nas margens.

Colunistas