publicidade

Cotidiano
Navegue por

Evento

'Joinville que Queremos' leva movimento à Rua das Palmeiras, símbolo do Centro da cidade

Iniciativa intitulada 'Caminhos de Joinville' propõe ocupação multicultural neste fim de semana no coração de Joinville

14/04/2019 - 09h39 - Atualizada em: 14/04/2019 - 09h41

Compartilhe

Luan
Por Luan Martendal
Participantes do evento 'Caminhos de Joinville' reunidos na Rua das Palmeiras
Participantes do evento 'Caminhos de Joinville' reunidos na Rua das Palmeiras
(Foto: )

A Rua das Palmeiras, símbolo do Centro de Joinville, se transformou em um espaço aberto multicultural desde a noite de sábado e segue ao longo deste domingo (14). Unindo arte, cultura, boa música e experiências gastronômicas voltadas para toda a família, o fim de semana se traduz em um verdadeiro convite a viver o Centro de Joinville.

O evento intitulado 'Caminhos de Joinville' contempla a terceira etapa do projeto Joinville Que Queremos, e é promovido pelo Jornal A Notícia e NSC Comunicação com a Prefeitura de Joinville. Neste ano, a proposta do projeto era debater propostas para revitalizar a região central. Por isso, para aproximar cada vez mais os joinvilenses do coração da cidade, uma programação especial foi pensada para encerrar o projeto com o intuito de mobilizar a população a ocuparem o cartão-postal de Joinville.

Desde a noite de sábado, se apresentam em palco aberto músicos, grupos de balé e jazz, além de rica programação cultural. De acordo com o diretor regional da NSC, Luciano Moura, realizações como a deste final de semana mostram que há uma crescente conexão social com o objetivo de fazer de Joinville um lugar ainda melhor.

— Esse é um momento que considero especial. Academia, iniciativa privada, poder público e comunicação, juntos, dando luz a um tema tão importante e relevante para a nossa cidade, o Centro de Joinville. A Joinville que queremos é a Joinville que nos faz bem — destaca.

A rua do lazer, que comumente ocorre na rua Beira-rio, terá uma edição especial neste domingo na rua Rio Branco, ao lado da rua da Palmeiras, o que também serve de teste para a Prefeitura. O evento vai ao encontro a uma proposta da Prefeitura de Joinville para transformar o Centro da cidade em um distrito cultural.

— O bom urbanismo traz de volta a vida para ambientes degradados e a gente propõe fazer uma série de ações coordenadas para a requalificação do Centro. A cultura e a história são nossos grandes ativos e vão guiar essa proposta — reforçou o secretário de Desenvolvimento Urbano, Danilo Conti, ao longo do projeto Joinville Que Queremos.

A música como agente transformador

No sábado, 13, a ocupação começou a partir das 18 horas e se arrastou até 22 horas com números musicais e apresentações culturais no palco montado para o evento em frente ao Museu Nacional da Imigração e Colonização. Além disso, o público teve à disposição Espaço Kids, com brinquedos infláveis, e Food Trucks. Uma das atrações que embalou o público no primeiro dia foi a Commando 47, banda joinvilense criada em 2015 e que une rock, rap, peso e melodia.

Eleita a Melhor Banda de Santa Catarina em 2017 pelo Prêmio da Música Catarinense, a Commando 47 levou ao palco um show repleto de músicas autorais reflexivas e com mensagens positivas com ideal de tornar a sociedade melhor. Conforme Bruno Fri, vocalista do grupo, a banda tem uma relação antiga com a cidade e acredita que o evento pode ser o início de um novo momento para o Centro, tendo a música como um dos instrumentos de transformação.

— Por mais que Joinville seja uma cidade industrial, não podemos deixar de lado a cultura. Essa é uma oportunidade de levar ao Centro atrações de qualidade e de fácil acesso à população e queremos fazer isso através da nossa música. Isso se enquadra muito no que a banda acredita, no que nossas letras falam, e é uma honra somar com os demais artistas para passar essa mensagem — afirmou o cantor.

O Centro em movimento

O segundo dia de programação começou na manhã deste domingo, às 10 horas com a tradicional Feira do Príncipe, o Espaço Kids e os Food Trucks, além de apresentações de dança da Escola Municipal de Ballet da Casa da Cultura. Haverá ainda uma cabine fotográfica e participação da dupla de artistas Irmãos Feitosa, Alexandre e Eduardo, que farão caricaturas gratuitas dos visitantes até às 16 horas.

Ações de mobilidade e de terapia vibracional também estão planejadas. A cantora e terapeuta Felícia Oliveira, por exemplo, vai fazer uma vivência de sambaterapia a partir do meio-dia, no palco do evento. A modalidade une respiração, canto, dança e ritmos do samba.

Já o encerramento das atividades terá show da Banda RW com uma hora de duração. O grupo, formado em 2015 por cinco amigos em Joinville, traz a releitura de grandes clássicos e nomes do Pop-Rock nacional, como Capital Inicial, Jota Quest, Skank, Lulu Santos e Legião Urbana.

— Eventos desse nível são de suma importância para aproximar os artistas e a comunidade joinvilense, além de um incentivo para a descoberta de novos talentos locais — aponta o vocalista da RW, Rogério Wack.

Projeto Transitando mais próximo da comunidade

Ônibus do Projeto Transitando
Ônibus do Projeto Transitando
(Foto: )

Estacionado na Rua Rio Branco, no domingo, o ônibus do Projeto Transitando poderá ser conhecido pela comunidade joinvilense. O ônibus especial faz o trajeto escola-empresa-escola, atende cerca de 7 mil crianças anualmente e consiste em realizar uma dinâmica dentro de estrutura especial com sala de aula e um circuito prático de trânsito no pátio da Gidion projetado para representar as ruas, as calçadas e os equipamentos urbanos e de sinalização.

O objetivo é orientar o público-alvo sobre o comportamento correto do pedestre e do condutor para um trânsito mais seguro. A ideia nasceu em conformidade com pesquisas que indicam que crianças na faixa etária atendida pelo projeto (4º ano do Ensino Fundamental) transmitem suas experiências para até quatro adultos, o que impacta direta ou indiretamente milhares de cidadãos.

— O feedback das pesquisas de avaliação do projeto revela que a cobrança dos alunos depois de participar do Transitando é muito forte junto aos pais, principalmente no quesito cinto de segurança e uso do celular ao dirigir. Além disso, a participação dos soldados como instrutores no programa também gera uma imagem positiva da Polícia Militar e reforça a formação de valores como respeito, cordialidade, colaboração e o exercício de seus direitos e deveres — constata Moacir Bogo, diretor institucional da Gidion.

Criado em 2011, quando completar dez anos o Projeto Transitando deve alcançar mais de 66 mil crianças de escolas de Joinville, o que se reverte em orientação para ao menos 330 mil pessoas.

A questão da mobilidade também vai estar presente na rua do lazer com intervenção da startup joinvilense AllMobility, que vai testar junto ao público o serviço goMOOV, de compartilhamento de patinetes, bicicletas e scooters elétricas via aplicativo. Na data, serão expostos os equipamentos de patinetes e miniscooters e será possível fazer uso-teste gratuito.

SERVIÇO

O quê: Evento Caminhos de Joinville

Onde: Rua das Palmeiras e Rio Branco, Centro

Quando: 13 e 14 de abril

Quanto: Gratuito

PROGRAME-SE E PARTICIPE

Sábado, 13 de abril (18h às 22h)

. Atrações musicais

. Apresentação cultural

. Food Trucks

. Espaço Kids

. Show da Banda Commando 47

Domingo, 14 de abril (10h às 16h)

. Feira do Príncipe

. Food Trucks

. Espaço Kids

. Irmãos Feitosa

. Cabine Fotográfica

. Apresentação de Dança

. Atração musical

. Apresentação do Coral da Univille

. Show da Banda RW

. Projeto Transitando Gidion

. Intervenção AllMobility

Veja Mais

Confira todas as reportagens do projeto Joinville Que Queremos de 2019

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação