nsc
    an

    Meio ambiente

    Joinville tem aumento de 543% em registros de incêndio em vegetação

    Cidades do Norte de SC registram aumento de 417%. Comparação é entre os meses de janeiro a maio de 2019 e 2020

    03/06/2020 - 11h31

    Compartilhe

    Patrícia
    Por Patrícia Della Justina
    No último dia 30 um incêndio atingiu o Morro Pelado, em Joinville
    No último dia 30 um incêndio atingiu o Morro Pelado, em Joinville
    (Foto: )

    Joinville teve um aumento de 543% em registros de incêndio em vegetação nos primeiros cinco meses de 2020. A comparação é em relação a 2019. O Corpo de Bombeiros Voluntários havia atendido 30 ocorrências nos cinco primeiros meses do ano anterior. Já em 2020, foram 163 a mais no mesmo período, o que totaliza 193 ocorrências.

    A situação foi sentida em todo o Norte de Santa Catarina, que apresenta um aumento de 417% nos casos de incêndio em vegetação atendidos pelos bombeiros militares e voluntários neste ano. Até maio de 2019, a macrorregião possuía 209 registros. Agora, até maio foram 1075 ocorrências atendidas pelas equipes de combate; 866 a mais. Os bombeiros voluntários de Jaraguá do Sul também registram o aumento: foram 27 casos em 2019 contra 108 neste ano.

    Leia também: Santa Catarina tem aumento de 400% de incêndios em vegetação em 2020 Incêndio de grandes proporções atinge área de mata em Jaraguá do Sul Mais um morro no interior de Joinville tem foco de incêndio

    As equipes de combate a incêndio que atendem a região de Itajaí até Itapoá, composta pelo 7º Batalhão de Bombeiros Militares, teve um crescimento de 300% em comparação ao ano anterior: de 51 ocorrências atendidas até maio de 2019, neste ano subiu para 204. Segundo informado pelo 9º Batalhão, responsável pela região de Canoinhas, o crescimento foi de 112%, subindo de 25 para 183 nos dois primeiros trimestres de 2020 na região.

    O comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville, Carlos Antonio Kelm, explica que a principal causa para este crescimento foi a falta de chuva nos últimos meses somada à falta de cuidado por parte da população. Conforme ele, a vegetação ressecada torna-se facilmente inflamável, mesmo a partir de pequenas brasas trazidas pelo vento.

    — Com a quarentena, devido à pandemia da Covid-19, muita gente ficou em casa nesse período, resolvendo usar o tempo livre para roçar seus terrenos e, após, queimando o capim roçado ou então arrumando as suas casas e queimando lixo, peças de mobiliário ou outros entulhos. O vento espalha as brasas e o resultado é esse que se viu — completa.

    Ele lembra, ainda, que é proibido queimar lixo, considerado crime ambiental. Segundo ele, as principais dificuldades das equipes de combate a incêndio estão relacionadas a terrenos com grandes extensões, por envolver grande mão de obra de bombeiros e necessitar de mais profissionais. Além disso, há os desafios relacionados às áreas de difícil acesso que impossibilitam o emprego de recursos necessários como caminhões de combate a incêndio, por exemplo.

    — Nesses casos, sendo possível, solicitamos o apoio do helicóptero Águia 1, da Polícia Militar, que consegue jogar água no fogo em sobrevoo do local do incêndio — explica.

    Consequentemente, de acordo com o comandante, as dificuldades são sentidas por toda a população. Primeiro por demandar equipes ao combate e desguarnecer a cidade com relação a ocorrências simultâneas, e segundo por possíveis queimaduras ou inalação da fumaça que pode levar a intoxicações, além dos prejuízos patrimoniais.

    — Pedimos atenção à população, a fim de que não façam nenhum tipo de queimada, bem como evitem descartar descuidadamente pontas de cigarro, ou qualquer coisa desse gênero, em local que possa vir a ocasionar um incêndio em vegetação — orienta.

    SC tem aumento de 400%

    Não só ao Norte de SC, o aumento também foi sentido em todo o estado. Conforme divulgado pelo colunista Renato Igor, do início do ano até o dia 26 de maio foram 3.671 ocorrências registradas pelos Bombeiros. No mesmo período do ano passado foram 899 casos.

    — Dá para dizer que 99% deles são causados pela  ação humana. Não podemos dizer se é intencional ou acidental, pois há a dificuldade do flagrante. Acredito que a maioria seja acidental. São casos de limpeza de terreno, fogo em lixo, galhos e folhas, por exemplo — explicou o Comandante do 1º Batalhão dos Bombeiros em Florianópolis, Coronel Diogo Bahia Losso, em entrevista à coluna.

    Constatando qualquer princípio de incêndio em vegetação ou entulho, os bombeiros orientam a população que contate imediatamente o telefone 193, a fim de que o incêndio possa ser combatido antes que saia de controle. Para quem possuir mobília usada ou objetos semelhantes para descarte, os profissionais sugerem que a população acione a empresa responsável pela coleta de lixo na cidade para buscar esse tipo de resíduo nas casas, sendo desnecessário, e perigoso, proceder com a queima.

    Leia as últimas notícias de Joinville e região.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas