Aline Silva da Costa, a jovem de 21 anos assassinada pelo companheiro em Blumenau nesta semana, planejava se separar do marido. A mãe dela conta que horas antes do ataque cruel a filha tinha lhe enviado mensagem avisando sobre o desejo de romper o relacionamento de cerca de quatro anos. De acordo com Lilía, o casamento era conturbado por causa do ciúme excessivo de José Aluízio dos Santos.

Continua depois da publicidade

Receba notícias de Blumenau e região por WhatsApp

Aline e o companheiro se conheceram no Pará, onde moravam. Lá começaram um relacionamento, apesar da diferença de 20 anos de idade. Ela engravidou e os dois passaram a viver juntos. Em um episódio, ainda no Norte do Brasil, José chegou a puxá-la pelos cabelos. Lilía diz que a família decidiu vir para Santa Catarina e a trouxe junto com o neto. O homem ficou.

Um ano depois, conforme a mãe da vítima, ele veio atrás da jovem e os dois reataram. Aline falava que o amava e queria que o filho, hoje com quatro anos, crescesse com a presença do pai. Mas há dois meses ela arrumou um emprego e teria começado a impor as vontades pessoais dela e ganhar mais autonomia, relata a mãe. Na quarta-feira (17), mandou mensagem para Lilía e à pastora falando sobre o desejo de romper a relação.

— Quando ele chegou em casa naquele dia ela não estava, tinha ido conversar com a pastora. Mais tarde, a Aline pediu que ele fosse buscá-la e os dois voltaram para casa. Minha filha entrou no banheiro chorando e depois for para o quarto, porque José tinha pedido para ela arrumar o filho para irem ao culto. Eu e o menino saímos do quarto, ele pegou uma faca e fechou a porta — recorda.

Continua depois da publicidade

Mãe e filha moravam juntas na mesma casa, na Escola Agrícola, com os maridos e filhos de cada casal. Lilía tentou abrir a porta e interromper o ataque do genro, mas já era tarde demais.

— Minha filha era muito alegre. Queria ser missionária. Eu só quero a justiça, mas não a do homem, e sim a de Deus — descreve, com a voz embargada.

Crime ocorreu na noite de quarta-feira (Foto: Talita Catie, NSC Total)

Sepultamento

A família queria levar o corpo de Aline para sepultamento no Pará, porém o valor elevado, na casa dos R$ 15 mil, para o translado virou um empecilho. A mãe chegou a fazer mobilização on-line para conseguir arrecadar o montante, mas a necessidade em um curto espaço de tempo para arrecadar todo o dinheiro também virou um problema.

A decisão acabou sendo por enterrar a jovem em Blumenau na tarde desta sexta-feira (19).

Preso no hospital

José Aluízio dos Santos, de 43 anos, tentou tirou a própria vida após matar Aline. Ele precisou ser socorrido pelo Samu e desde a noite do assassinato está internado no Hospital Santa Isabel. O quadro é considerado estável. O homem está sob escolta e a Polícia Civil já fez o auto de prisão em flagrante por feminicídio.

Continua depois da publicidade

O depoimento dele não tinha sido coletado até a noite de quinta (18).

Leia mais

Marcado julgamento do assassino de vendedor de paçoca que chocou Blumenau

Técnica de enfermagem recém-formada morre e marido denuncia suposto erro médico em SC

Destaques do NSC Total