nsc
an

Economia

Jovens de até 24 anos ocuparam 85% das vagas abertas em Joinville durante 2018  

O saldo positivo de 9.094 postos de trabalhos reflete uma guinada para o trabalhador até essa faixa etária 

16/02/2019 - 10h04 - Atualizada em: 16/02/2019 - 11h11

Compartilhe

Luan
Por Luan Martendal
Thais é um dos exemplos da ascensão da nova gerção no mercado de trabalho na cidade
(Foto: )

Quinta cidade do Brasil que mais gerou empregos com carteira assinada em 2018, com saldo positivo de 9.094 postos de trabalho, Joinville demonstra uma guinada para o trabalhador jovem, de até 24 anos. Este público foi responsável por abocanhar 85% das vagas abertas de janeiro a dezembro passados. As mulheres também despontam na criação de oportunidades, com 462 vagas a mais que os homens. Os dados ajudam a desenhar um perfil aproximado do mercado de trabalho joinvilense.

Conforme os dados mais recentes do Observatório da Indústria Catarinense, mantido pela Fiesc, há dois anos o município mantinha a média de 200 mil empregos fixos, 54% deles ocupados por pessoas do gênero masculino. À época, a abertura de vagas contemplou 3.242 homens e 2.348 mulheres. No entanto, o vai e vem das vagas no ano passado demonstra reação do público feminino, seguindo tendência já registrada em 2017, quando elas inverteram o saldo negativo de 1.477 desligamentos no ano anterior para superávit.

Os números do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), apontam que coube a elas 43.784 admissões contra 39.006 demissões em 2018, alcançando 4.778 novas vagas ocupadas. O total representou 52% do acumulado geral na cidade e crescimento de 103% nas vagas preenchidas por pessoas do gênero feminino com relação aos doze meses anteriores.

Apesar de ainda manter maioria, os homens tiveram evolução mais tímida, com 49.485 contratações e 45.169 demissões no período. O saldo fechou com a geração de 4.316 postos destinados ao público masculino.

Dentre o gênero feminino, o destaque tanto em 2017 quanto em 2018 ficou pela ocupação de vagas nos setores de Serviços (2.000 e 3.698), Comércio (112 e 672) e Indústria da Transformação (142 e 370). Já o público masculino ganhou mais vagas na Indústria da Transformação sendo 1.690 novas vagas em 2017 e, 1.580, em 2018.

Campeões de vagas

Considerando oito grandes setores econômicos do País, o ramo de Serviços demonstra ter guiado o crescimento na criação de vagas de trabalho em Joinville em 2018. Foram 6.437 empregos formais criados. A liderança já havia sido conquistada em 2017, com 2.881 posições preenchidas. Na sequência, nos dois anos comparados se mantém a Indústria da Transformação, com 3,7 mil empregos acumulados no biênio.

Em 2018 registraram perda de vagas os setores Extrativista Mineral (-8); Construção Civil (-287); Administração Pública (-2); e Agropecuária, Extrativismo Vegetal, Caça e Pesca (-39). Na administração pública os números apresentaram pouca variação, com três desligamentos em 2017 e dois no ano seguinte.

Gerações Y, Z em ascensão

Quando consideradas as diferentes faixas-etárias, desde adolescentes de até 17 anos a idosos de 65 anos ou mais, o mercado reservou 5.954 oportunidades para jovens de 18 a 24 anos e outras 1.778 posições para pessoas com até 17 anos. Adultos de 50 a 64 anos ou mais, tiveram juntos saldo negativo de 1.312 empregos. Considerando as trabalhadoras contratadas em 2018, as profissionais de até 24 anos preencheram 78% das vagas. Dentre os homens, o saldo desse grupo etário foi ainda maior, atingindo 93%.

As gerações Y e Z também mostram evolução na presença dentro das companhias. Há dois anos eles ganharam mais de seis mil postos e, no ano que terminou essa conta ampliou. Houve criação de pelo menos 1,5 mil novas colocações sobre o saldo de 2017 na mesma faixa-etária.

A advogada Thais Consiglio é um dos referenciais da ascensão da nova geração no mercado de trabalho na cidade. Aos 24 anos, ela lidera a área jurídica da Asaas, empresa de tecnologia em gestão financeira de Joinville. Contratada em 2017 como assessora jurídica depois de passar por uma série de entrevistas e testes específicos, hoje desempenha a função de compliance officer e já lidera a área jurídica da companhia.

— Não imaginava que teria um emprego que eu gostasse tanto quanto este. É sempre um desafio e, enquanto profissional, vou me construindo como responsável pelo departamento aos poucos, aprendendo um pouco mais a cada dia — constata sobre sua primeira oportunidade na carreira.

O saldo de empregos em 2018 na faixa etária e 18 a 24 anos é de 5.954.

Saldos de empregos, em 2018, em Joinville:

Público geral

Total: 9.094

Por gênero

Feminino: 4.778

Masculino: 4.316

Por escolaridade

Básica completa: 7.356

Básica incompleta: 1.738

Por faixa-etária

Até 17 anos: 1.778

18 a 24: 5.954

25 a 29: 1.350

30 a 39: 828

40 a 49: 496

50 a 64: -1.081

65 ou mais: -231

Por porte do empregador

Microempresas: 2.615

Pequenas empresas: 470

Médias empresas: 426

Grandes empresas: 5.583

Por setor

Serviços: 6.437

Indústria da transformação: 1.950

Comércio: 976

Serviços ind. de utilidade pública: 67

Administração pública: -2

Extrativista mineral: -8

Agropecuária, extr. vegetal, caça e pesca: -39

Construção Civil: -287

Colunistas