nsc
santa

VALE DO ITAJAÍ

Justiça pede exame de corpo de delito de ladrão espancado após assalto em Blumenau

Polícia Civil deve abrir inquérito para investigar se houve excessos por parte dos populares ao imobilizar o criminoso

27/10/2020 - 05h28 - Atualizada em: 27/10/2020 - 06h04

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Bandido foi atropelado, agredido e amarrado em rua de Blumenau
Bandido foi atropelado, agredido e amarrado em rua de Blumenau
(Foto: )

No documento em que autorizou a prisão preventiva do ladrão que foi atropelado, amarrado e linchado depois de um roubo em Blumenau, a Justiça também pediu um exame de corpo de delito para analisar o ocorrido. O caso aconteceu na última sexta-feira (23) e a detenção em flagrante foi convertida em preventiva no sábado (24).

> Receba notícias por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do Santa

O juiz Wellington Nogueira Junior estabeleceu a ida à unidade prisional pelos antecedentes criminais do suspeito e outros fatores. Com diversas passagens policiais, ele já foi condenado por furto, roubos e porte ilegal de armas. O homem também teria ameaçado as vítimas no momento da prisão.

Em depoimento, o suspeito confirmou que invadiu a casa e roubou o celular da proprietária naquela manhã, mas negou ter usado uma chave de fenda no momento da abordagem. Ele teria dito que tem a intenção de registrar boletim de ocorrência por tentativa de homicídio contra o casal dono do imóvel que invadiu.

Na decisão, o juiz ordenou que o exame de corpo de delito indireto (por meio de fotos) seja feito e o resultado encaminhado ao Ministério Público para que o material possa ser analisado. A solicitação é comum em casos em que o preso relata agressões, seja por abuso policial ou por episódios como esse.

Na semana passada, ao falar do pedido de prisão preventiva, o delegado Felipe Orsi explicou que eram necessários mais elementos para investigar a situação. Por isso, as informações levantadas por ele na Central de Polícia seriam encaminhadas à delegacia do bairro Itoupava Norte, região onde tudo ocorreu, para que, se necessário, o delegado da unidade avalie a necessidade de abrir um inquérito.

O vídeo que mostra a agressão está incompleto e os exames precisam indicar a gravidade dos machucados.

— Toda pessoa pode prender alguém em flagrante, isso está instituído em lei. Porém, a lei também prevê punição para o excesso — explicou Orsi.

O crime

Na sexta, segundo o relato da vítima aos policiais, o homem entrou na casa dela e a ameaçou com uma chave de fenda. A mulher estava sozinha com um filho de quatro anos. Ela gritou por socorro e ele fugiu a pé levando apenas um celular. Tudo aconteceu por volta das das 6h30min.

Cerca de duas horas depois, um parente da vítima, com o auxílio da localização do GPS do celular, descobriu que o aparelho estava em um local próximo à Rua 1º de Janeiro. Eles foram atrás do suspeito, que foi localizado e abordado. O ladrão, porém, tentou correr, mas acabou sendo atropelado propositalmente por um motorista que percebeu o que estava acontecendo e decidiu intervir.

Uma câmera de segurança gravou este momento. Após ser atingido pelo carro, o ladrão cai e é imobilizado por um pedestre. Na sequência surge a mulher vítima do roubo e o marido dela, que está de muleta. Ele bate no suspeito com o objeto. Depois, um outro homem aparece e chuta o que está caído no chão. O vídeo acaba antes da chegada da PM.

Colunistas