nsc
    dc

    CURITIBA 

    Lula diz não querer ir para o semiaberto: "Não troco minha dignidade pela liberdade" 

    Procuradores da força-tarefa da Operação Lava-Jato afirmaram, na sexta-feira, que o ex-presidente tem direito à progressão de regime 

    30/09/2019 - 15h35 - Atualizada em: 30/09/2019 - 15h40

    Compartilhe

    Por GaúchaZH
    "Cabe agora à Suprema Corte corrigir o que está errado, para que haja Justiça independente e imparcial", afirmou Lula
    (Foto: )

    Em carta divulgada nesta segunda-feira (30) e lida em frente à Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba (PR) pelo seu advogado, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que não pretende aceitar a progressão de regime à qual tem direito.

    Na sexta-feira (27), os procuradores da força-tarefa da Operação Lava-Jato afirmaram que o ex-presidente já pode ir ao regime semiaberto, uma vez que já cumpriu um sexto da pena por lavagem de dinheiro e corrupção passiva. Lula está preso desde o dia 7 de abril de 2018.

    — Não troco minha dignidade pela minha liberdade. Diante das arbitrariedades cometidas pelos procuradores e por Sergio Moro (ex-juiz e hoje ministro da Justiça), cabe agora à Suprema Corte corrigir o que está errado, para que haja Justiça independente e imparcial. Como é devido a todo cidadão – afirmou o ex-presidente na carta.

    Nesta segunda-feira (30), Lula se reuniu com a presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o candidato do partido à Presidência em 2018, Fernando Haddad, que são seus advogados, para discutir uma eventual saída da prisão.

    Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Política

    Colunistas