nsc
    dc

    Caravana em SC

    Lula encerra passagem por Florianópolis com discurso no Centro

    Após evento na Capital, petista segue para Chapecó, onde participa de outro ato no fim da tarde

    24/03/2018 - 12h13 - Atualizada em: 24/03/2018 - 14h45

    Compartilhe

    Por Redação NSC
    Ex-presidente Lula em discurso no Centro de Florianópolis neste sábado
    Ex-presidente Lula em discurso no Centro de Florianópolis neste sábado
    (Foto: )

    Com as promessas de isentar o Imposto de Renda (IR) de quem ganha até cinco salários mínimos, federalizar o Ensino Médio e tomar um banho de mar em Santa Catarina se vencer a eleição presidencial em outubro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) realizou um verdadeiro comício no Largo São João Paulo II, no Centro de Florianópolis, na tarde deste sábado (24). O evento faz parte da caravana do petista pelo Sul do Brasil, que continua com outro ato no final da tarde em Chapecó.

    A militância simpática ao ex-presidente tomou conta do local, utilizando as escadarias da Catedral como arquibancada e buscando refúgio do sol de 32 graus sob as árvores da Praça XV de Novembro ou improvisando guarda-chuvas. Este cenário icônico de Florianópolis foi o palco para a polêmica entrega do título de Cidadão Catarinense para o petista e para meia hora de discurso de Lula marcado por críticas à imprensa, ao Ministério Público Federal e ao Judiciário pela condenação a 12 anos de prisão por corrupção passiva no caso envolvendo o tríplex em Guarujá (SP). A condenação, confirmada pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), impede a candidatura de Lula à presidência e pode levar à prisão do ex-presidente após o julgamento os embargos da defesa junto ao tribunal.

    A militância petista e de partidos de esquerda começou a chegar ao local do evento a partir das 9 horas. No palco, revezavam-se discursos, apresentações de música ao vivo e jingles das campanhas eleitorais de Lula. Um grupo de manifestantes contrários a Lula chegou a se posicionar no local - sob a sombra das árvores da Praça XV -, mas foram retirados pela Polícia Militar (PM). O policiamento ostensivo - viaturas, cavalaria, helicóptero - impediu confrontos e separou os grupos. Os organizadores do evento afirmaram que cerca de 10 mil pessoas estavam presentes. A PM não deu estimativa.

    Militância petista e de partidos de esquerda ocuparam as escadarias da Catedral, no Centro de Florianópolis
    Militância petista e de partidos de esquerda ocuparam as escadarias da Catedral, no Centro de Florianópolis
    (Foto: )

    A chegada de Lula foi anunciada às 13h20. Antes, o ex-presidente encontrou lideranças políticas e acadêmicas em um evento fechado na Assembleia Legislativa (Alesc). Antes do discurso no Centro, foi feita a entrega do título de Cidadão Catarinense ao ex-presidente - aprovada em 2008 pelos deputados e que causou polêmica após o pedido da deputada estadual Ana Paula Lima para fazer a entrega durante os comícios de Lula no Estado, autorizada pelo presidente da Alesc, Aldo Schneider (PMDB).

    Além da entrega, também foi feita a filiação ao PT do desembargador aposentado Lédio Rosa de Andrade, possível candidato do partido ao governo de SC. Ao discursar, Lédio disse que deixou a magistratura para combater injustiças e que o país vive uma ditadura "feita em nome da Justiça e da moral, mas com terríveis intenções por trás". Além dele, também falaram o deputado federal Décio Lima, presidente estadual do partido, e o ex-prefeito paulistano Fernando Haddad.

    Eram quase 14h quando Lula começou seu discurso. Disse que os adversários políticos do PT destilaram ódio na população desde a reeleição de Dilma Rousseff em 2014, e que a queda de sua sucessora por impeachment e a inclusão do ex-presidente nas investigações da Operação Lava-Jato foi tramada pelos meios de comunicação, setores do MPF e Judiciário. Fez fortes críticas ao procurador Deltan Dalagnoll, ao juiz Sérgio Moro e ao TRF4. Disse que não vai se calar e que quer ser julgado em tribunais superiores. Chegou a se emocionar ao citar a bisneta, nascida ano passado.

    — Eu não posso respeitar essa decisão, porque se respeitar, não vou poder olhar nos olhos da minha bisneta — disse Lula.

    O petista disse que ainda não é candidato a presidente, porque não foi realizada a convenção do PT, mas tem vontade de concorrer. Prometeu revogar medidas tomadas no governo do presidente Michel Temer (PMDB), acabar com o teto de gastos e federalizar o ensino médio ("já disse para o Haddad calcular quanto vai custar"). Além disso, defendeu a isenção do Imposto de Renda de quem recebe até cinco salários mínimos (R$ 4,7 mil) e a taxação de heranças, fortunas e aplicações financeiras. Ao final, citou o título de Cidadão Catarinense e lembrou que tomou banho de mar nas praias da Joaquina e Ingleses, em Florianópolis.

    — Quero dizer para vocês: na minha vitória eu virei tomar um banho de mar em Santa Catarina.

    Leia Mais

    Chegada de Lula a Florianópolis mobiliza apoiadores e manifestantes

    Lula volta a SC para resgatar eleitorado defender candidatura

    Quinze anos depois, outro Lula em Santa Catarina

    De favorito na eleição a condenado: quem é o Lula que volta a SC 15 anos depois

    PT pede reforço na segurança durante caravana de Lula no Sul

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas