nsc
an

Polícia

Mãe e filha são atacadas a tiros e uma delas morre em Joinville

Assassinato e tentativa de homicídio aconteceu na tarde desta segunda-feira (29) no bairro Vila Nova

29/04/2019 - 14h54 - Atualizada em: 19/02/2020 - 09h46

Compartilhe

Redação
Por Redação AN
Luana Rutzen
Luana Rutzen
(Foto: )

Mãe e filha foram baleadas na tarde desta segunda-feira (29) na Zona Oeste de Joinville. Uma das mulheres, a jovem Luana Rutzen, de 22 anos, morreu assassinada no local dos disparos e a mãe dela, Iliane Aparecida dos Santos, de 45, foi levada de helicóptero para o Hospital São José. O ataque foi registrado na casa das vítimas na Rua dos Portugueses, no Bairro Vila Nova. O suspeito do ataque é o ex-namorado de Luana e, por isso, o crime deve ser investigado como feminicídio.

Segundo informações da Polícia Civil, o suspeito dos disparos é Marcelo Carvalho. Ele estava em liberdade provisória com uso de tornozeleira eletrônica pelos crimes de ameaça e porte ilegal de armas. Além disso, ele também tem antecedentes criminais por tentativo de homicídio e homicídio.

O jovem rompeu o equipamento com uma faca por volta das 14h35, logo após o crime, e é considerado foragido pela polícia por estar em "estado flagrancial" do ato. A tornozeleira foi encontrada em uma área rural entre Garuva e Joinville.

De acordo com o delegado Wanderson Alves, da Delegacia de Homicídios, a apuração da polícia aponta que o casal havia brigado na última sexta-feira. Por isso, Luana estava na casa da mãe dela. Nesta segunda-feira, Marcelo teria chegado de carro na residência dizendo que queria conversar, mas estava armado com uma pistola calibre 380.

Luana estava sentada na varanda quando Marcelo chegou. Eles discutiram ainda na frente da casa e ele atirou contra a ex-companheira. Segundo a polícia, Luana foi atingida por pelo menos três tiros. Na tentativa de ajudar a filha, a mãe da jovem também foi baleada por pelo menos dois disparos, um deles no pescoço.

Depois do crime, o homem fugiu do local em um Fiat Palio na cor prata. As polícias Militar e Civil fazem buscas na região para tentar localizar o homem.

As informações foram repassadas à polícia por uma testemunha que viu toda a ação e será ouvida oficialmente nas próximas horas. O Instituto Geral de Perícias (IGP) e agentes da Delegacia de Homicídios fazem a investigação no local.

A equipe do Helicóptero Águia da 2ª Companhia de Aviação da Polícia Militar de Joinville fez o translado da sobrevivente até o hospital e o estado de saúde de Iliane é considerado estável. Ela está em recuperação no Hospital São José.

Segundo o delegado, caso o suspeito não seja localizado e não seja preso em flagrante, será instaurado inquérito policial representando prisão preventiva do autor, tendo em vista o conjunto de provas robustas coletadas pela polícia por meio de testemunhas.

A Polícia Civil pede que se alguém tiver informações sobre o paradeiro do veículo (com as características descritas) e o suspeito, pode entrar em contato pelo 181 ou o 190.

Colunistas