nsc

publicidade

Bogota

Maior grupo financeiro da Colômbia colaborará com EUA no caso Odebrecht

11/12/2018 - 21h36

Compartilhe

Por AFP

O maior grupo financeiro da Colômbia informou nesta terça-feira que colaborará com os Estados Unidos na investigação sobre o escândalo de subornos da Odebrecht, no qual está envolvido uma de suas empresas.

O Grupo Aval revelou em comunicado que "cooperará com a investigação" do departamento americano de Justiça sobre as irregularidades envolvendo a maior obra rodoviária da Colômbia, destinada a unir o centro ao norte do país.

Aval, liderado pelo banqueiro Luis Carlos Sarmiento - o homem mais rico da Colômbia-, é o principal acionista da Corficolombiana, sócia da Odebrecht na construção da Estrada do Sol 2.

A Promotoria colombiana denunciou o desvio de dinheiro para campanhas políticas locais, assim como o pagamento de subornos para a aquisição do contrato da obra, avaliada em 1,6 bilhão de dólares.

Em 2016, a Odebrecht admitiu à Justiça americana ter pago subornos a políticos colombianos em troca de contratos para obras públicas, uma prática que aplicou em 12 países.

Até o momento, seis pessoas foram condenadas por este escândalo na Colômbia, onde a Odebrecht pagou 32,5 milhões de dólares em propinas.

O caso Odebrecht teve uma reviravolta dramática na Colômbia após a morte, em 8 de novembro, de Jorge Pizano, auditor do consórcio formado pelo grupo brasileiro e a Corficolombiana para construir a Estrada do Sol 2.

Três dias depois, seu filho morreu envenenado com cianureto em uma garrafa d'água encontrada no escritório de Pizano. As duas mortes estão sendo investigadas.

* AFP

Deixe seu comentário:

publicidade