nsc
an

Pandemia

Mais de 1 mil professores da rede municipal de Joinville foram afastados por suspeita de Covid-19 em 2021

As aulas presenciais em modo híbrido retornaram em fevereiro nas unidades escolares públicas de educação infantil e ensino fundamental

29/04/2021 - 18h10

Compartilhe

Cláudia
Por Cláudia Morriesen
foto mostra sala de aula com álcool em gel na mesa do professor
Representantes dos servidores públicos municipais de Joinville pedem testagem em massa para os professores
(Foto: )

Mais de mil professores já foram afastados do trabalho em escolas da rede pública municipal de Joinville com suspeita ou confirmação de Covid-19 em 2021. O número corresponde a 25% do número total de educadores — atualmente, a cidade tem 4.345 profissionais na rede municipal de ensino, entre professores e auxiliares.

Desde janeiro, 1.376 profissionais foram afastados. Destes, 260 testaram positivo para Covid-19. No momento, há 10 professores afastados após terem testado positivo.

Receba notícias de Joinville e do Norte de SC por WhatsApp

A volta às aulas presenciais ocorreu em novembro de 2020, com baixa adesão, já que não havia obrigatoriedade de frequência em sala de aula. A maioria dos alunos continuou em aulas online, como estava ocorrendo desde o fechamentos das escolas em todo o Estado em março do mesmo ano. 

Em 2021, o retorno ocorreu em fevereiro, com 50% da capacidade total e turmas divididas em dois grupos — enquanto um realiza atividades em sala de aula, o outro realiza as atividades em casa. Na semana seguinte, os grupos invertem. Mas, antes disso, os professores já estavam em atividade nas unidades escolares.

Proposta prevê vacinação de professores

Desde a volta às aulas, o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville (Sinsej) denunciou casos de contágio comunitário e até surtos da doença entre servidores.

— A pandemia só se intensificou, vieram outras cepas do vírus e não teve ainda vacinação para este setor da categoria. Outra pauta que estamos pedindo à prefeitura é a testagem em massa — afirma a presidente do Sinsej e professora Jane Becker.

A Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina apresentou uma proposta para a priorização da vacinação de professores em todo o estado de Santa Catarina. O plano prevê a imunização dos educadores e demais trabalhadores do setor, assim como pessoas que trabalham na gestão, limpeza e alimentação nas escolas. A data para início da vacinação ainda não foi divulgada.

Segundo a Prefeitura de Joinville, o monitoramento dos servidores está sendo feito e é realizada a higienização de todo o ambiente escolar após a troca de cada turma. Para a Secretaria de Educação, não há risco para alunos e funcionários.

*Com informações do repórter Raphael Augustus, da NSC TV Joinville

Colunistas