Mais de uma tonelada de camarão foi apreendida após uma denúncia de trabalho irregular em uma casa de Penha, no Litoral Norte do Estado. Ao chegar no local, a Polícia Militar Ambiental de Balneário Camboriú flagrou ao menos 10 pessoas praticando o processo de salga, para conservar o crustáceo, sem qualquer autorização ou licença dos órgãos responsáveis.

Continua depois da publicidade

O proprietário da residência foi multado em R$ 25,6 mil e teve o estabelecimento interditado.

Inscreva-se e receba notícias pelo WhatsApp do Vale do Itajaí

A descoberta ocorreu na tarde desta terça-feira (23), quando a guarnição foi até o imóvel e percebeu uma intensa movimentação de pessoas dentro da casa. O dono do local autorizou a entrada dos policiais, que se depararam com um grupo manipulando o camarão de forma irregular.

Camarão manipulado dentro da casa (Foto: Polícia Militar Ambiental de SC, Divulgação)

O homem confessou que não tinha autorização para exercer a atividade ou documentação que comprovasse a origem do pescado. Além disso, algumas mesas usadas durante o trabalho eram feitas de tábuas de caixaria, o que levou a Vigilância Sanitária até o local também.

Continua depois da publicidade

Em cima dessas “madeiras” havia ao menos 80 quilos de camarão que tiveram de ser descartados pelos fiscais e encaminhados até um aterro sanitário. Já o restante dos alimentos foi doado para a Associação Lar de Idosos Grande Família, em Barra Velha, segundo a Polícia Militar Ambiental.

Mais de uma tonelada foi apreendida (Foto: Polícia Militar Ambiental de SC, Divulgação)

O proprietário da casa foi autuado por fazer funcionar atividade potencialmente poluidora, sem autorização dos órgãos ambientais competentes — conforme previsto no artigo 66 do Decreto Federal 6.514/08 — e por beneficiar produto originário da pesca sem comprovação da origem — que também consta no artigo 35 do mesmo decreto.

Somadas, as multas totalizaram R$ 25,6 mil. A casa também foi interditada.

Lulas apreendidas em Palhoça

No mesmo dia da ocorrência em Penha, a Polícia Militar Ambiental de Santa Catarina também flagrou um caminhão com 300 quilos de pescados sem nota fiscal que comprovasse a origem. A carga incluía a espécie lula-comum e foi apreendida pela guarnição.

Já o infrator foi autuado e teve de pagar uma multa de quase R$ 8 mil. Os pescados que estavam no caminhão foram doados ao Educandário Santa Catarina, em São José.

Continua depois da publicidade

Carga incluía, em sua maioria, lulas (Foto: Polícia Militar Ambiental de SC, Divulgação)

*Sob supervisão de Talita Catie

Leia também

Esconderijo improvisado surpreende médica em banheiro de clínica de Balneário Camboriú

Motorista encontra ossada humana às margens de avenida em Balneário Camboriú

Destaques do NSC Total