Uma equipe de reportagem foi atacada por manifestantes bolsonaristas em frente ao 23º Batalhão de Infantaria de Blumenau na manhã desta segunda-feira (9). Um vídeo feito pela equipe do Santa mostra o momento em que a repórter da NDTV Juliete Tambosi deixa o local sendo escoltada por um colega de emissora que passava pela região no momento da ocorrência.

Receba notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp

Na gravação é possível ouvir a equipe sendo xingada.

Com a jornalista estava o cinegrafista Eliezer Raulino. Os dois foram cercados e empurrados pelos manifestantes, segundo fonte ouvida pela reportagem. O repórter Stêvão Limana, que atua na mesma emissora e já foi alvo de ataque durante os bloqueios das estradas no fim do ano passado, percebeu a situação e ajudou a colega a deixar o local.

O ataque ocorre um dia após a invasão e depredação do Congresso, STF e Planalto, neste domingo (8). A situação caótica que tomou Brasília levou o presidente da República a decretar intervenção no Distrito Federal. Mais de mil pessoas já foram presas em virtude do vandalismo. O Ministério da Justiça abriu um canal de denúncias contra terroristas, para identificar quem participou e quem financiou as ações.

Continua depois da publicidade

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Morais determinou a desmobilização dos acampamentos em frente a quarteis no Brasil. Em Blumenau, há dois meses, um grupo de pessoas inconformadas com a derrota da de Jair Bolsonaro (PL) está em frente ao Batalhão de Infantaria. Na manhã desta segunda-feira (9), a Polícia Militar disse que aguarda orientação do alto comando para saber o que deve ser feito.

O grupo reunido em Blumenau tinha, nesta manhã, cerca de 30 pessoas.

Leia mais

PM começa a desocupar acampamento bolsonarista em frente ao Exército em Joinville

Golpistas levaram documentos e HDs do Planalto, diz ministro da Comunicação

Destaques do NSC Total