nsc

    Expectativa

    Marina da Beira-Mar Norte terá estrutura para transporte marítimo, segundo construtora

    Em entrevista ao Notícia na Manhã, presidente da empresa vencedora da licitação dá detalhes sobre o projeto

    06/10/2020 - 11h49 - Atualizada em: 06/10/2020 - 12h07

    Compartilhe

    Leandro
    Por Leandro Lessa
    Empresa vencedora da licitação da marina na Beira-Mar Norte tem contrato de concessão por 30 anos
    Empresa vencedora da licitação da marina na Beira-Mar Norte tem contrato de concessão por 30 anos
    (Foto: )

    A marina a ser erguida na região da Beira-Mar Norte, em Florianópolis, deverá ter ponto de embarque e desembarque para a utilização do transporte marítimo. Em entrevista ao Notícia na Manhã desta terça-feira (6), João Luiz Félix, diretor-presidente da Jota Ele Construções Civis disse que o contrato de concessão, assinado nesta segunda, não previa um deque para o modal, mas a intenção é deixar essa estrutura preparada. 

    - Acho que é extremamente importante prever essa possibilidade, provavelmente deverá ter outra ocorrência para o transporte marítimo. Vamos fazer de tudo para que esse equipamento seja o que a população de Florianópolis sempre sonhou - declarou o empresário. 

    A partir da próxima semana, uma equipe deverá tratar do aperfeiçoamento do projeto executivo a ser enviado à prefeitura de Florianópolis em até 90 dias. Depois disso, também num prazo de três meses, a administração municipal fará a análise do material, para verificar se estão sendo respeitados os itens do edital. Os pedidos de licença ambiental serão feitos após a aprovação pela prefeitura. 

    - O que existe até hoje é um estudo orientativo, feito por uma concorrente. Agora vamos fazer um projeto executivo, em que vamos alinhar o que imaginamos ser interessante para a marina. Não é só para colocar barcos, pois terá também área comercial e um parque público - declarou Félix. 

    Com base no Paraná, a Jota Ele é responsável pela marina Bracuhy, localizada em Angra dos Reis (RJ), que conta com cerca de 350 embarcações em vaga molhada. Mesmo tratando-se de baías, o presidente da construtora acredita que serão instalações com diferenças entre ambas. A estrutura na capital catarinense terá piers flutuantes, acompanhando a maré, e vagas secas, para embarcações menores. 

    - Pelos estudos que nós fizemos, não deveremos ter problemas em relação ao mar - explicou o presidente da empresa. 

    Contrato de concessão tem validade de 30 anos

    Ainda de acordo com Félix, o edital prevê também que os pescadores continuarão tendo acesso ao local, além da construção de vagas públicas e espaços disponibilizados para o Corpo de Bombeiros e a Marinha do Brasil. Entre as condicionantes na concessão, existe a preocupação com o trânsito na área, mas o empresário acredita que não haverá grande impacto, pois a marina será construída para dentro do mar. 

    > Santa Catarina tem duas cidades entre as 10 mais hospitaleiras do Brasil

    Atrativos como uma roda gigante e um aquário estão nos planos, mas ainda dependeriam de questões ambientais para serem levados à frente. A construtora ficará responsável pela implantação, operação, gestão e manutenção do Parque Urbano e Marina da Beira-Mar Norte. A validade do contrato é de 30 anos, e o prazo previsto para execução das obras é de até cinco anos, com um custo orçado em R$ 190 milhões. 

    Ouça a entrevista completa para a CBN Diário:  

    Colunistas