publicidade

Política
Navegue por

Doença

Meningite bacteriana pode ser fulminante e deve ser tratada imediatamente

Neto do ex-presidente Lula morreu nesta sexta-feira vítima da doença

01/03/2019 - 16h25 - Atualizada em: 01/03/2019 - 18h38

Compartilhe

Por Folhapress
Lula e o neto Artur
(Foto: )

A meningite, doença que causou a morte do neto de 7 anos do ex-presidente Lula, é uma infecção que se instala principalmente quando uma bactéria ou vírus ataca as meninges, três membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central.

Mais raramente, as meningites podem ser provocadas por fungos ou pelo bacilo de Koch, causador da tuberculose.

As meningites bacterianas são as mais graves e devem ser tratadas imediatamente. Segundo Celso Granato, professor de infectologia da Unifesp, a doença é fulminante. O risco de morte é de 10% a 20%.

Os sintomas incluem febre alta e repentina, dor de cabeça, rigidez do pescoço, vômitos, em alguns casos sensibilidade à luz e confusão mental.

A doença pode ser prevenida com vacinas. Na rede pública, as vacinas protegem contra as meningites causadas pelo hemófilo B, por pneumococo e pelo meningococo C.

Na rede privada, a vacina quadrivalente protege contra a meningite meningocócica A, C, W e Y. Também há a vacina contra a meningite tipo B.

Os casos de meningite, doença que causou a morte do neto do ex-presidente Lula, estão em queda no país. O número de casos caiu 63% entre 2010 e 2016, segundo dados do Ministério da Saúde.

Esclareça dúvidas sobre a doença

Quem causa a meningite?

Quando a origem é bacteriana, as principais causadoras são as bactérias meningococo e pneumococo. Quando a meningite é viral, há uma gama de vírus causadores – incluindo os responsáveis por gripe, sarampo e herpes. Há também casos de meningite causada por medicamentos.

Quais os sintomas?

Dor de cabeça, vômitos, rigidez na nuca e no pescoço (o paciente não consegue baixar a cabeça), cansaço e febre alta. A doença tem alta taxa de sequelas – entre elas, surdez, perda dos movimentos, confusão mental, paralisia e problemas de raciocínio.

Como é a transmissão?

Por saliva, seja por tosse, espirro ou contato em ambientes fechados e aglomerados.

Como é o tratamento?

Quando a meningite é causada por bactéria, o tratamento é com antibiótico. Quando é causada por vírus, médicos usam, em alguns casos, antiviral, ou, em outros, aguardam a passagem de sintomas, como no caso da gripe.

Há sequelas?

Como a inflamação ocorre no sistema nervoso central, as sequelas dependem de qual área do cérebro foram afetadas pela bactéria ou pelo vírus. Entre os riscos, estão epilepsia, paralisia cerebral e problemas permanentes de fala, compreensão e raciocínio.

Quem são as principais vítimas?

Crianças, por conta dos hábitos de colocar tudo na boca. Adultos, porém, também podem ser vítimas, uma vez que a transmissão ocorre em locais fechados e por saliva.

Existe vacina?

Sim. Há vacinas na rede pública e privada contra a meningite bacteriana causada por pneumococo e meningococo. A meningite viral pode ser causada por centenas de vírus, mas há vacinas que imunizam contra alguns causadores — caso do sarampo, por exemplo.

Meningite
(Foto: )

*Com GaúchaZH

Deixe seu comentário:

publicidade

Navegue por
© 2018 NSC Comunicação
Navegue por
© 2018 NSC Comunicação