nsc

    Mercado Público de Florianópolis estreia nova cobertura nesta sexta-feira

    Alguns ainda estão desconfiados, outros apostam em aumento nas vendas. Mas, no geral, comerciantes veem com bons olhos o teto retrátil

    30/06/2016 - 15h25

    Compartilhe

    Por Redação CBN Diário

    Trabalhadores há mais de 50 anos no Mercado Público de Florianópolis, os amigos Ariano Manoel dos Santos, 69 anos, do açougue; e Edegar Jacques, 75, da floricultura, estavam conversando, no início da tarde desta quinta-feira, sobre como a nova cobertura do vão central ficou bonita, até serem interrompidos pela reportagem da Hora, que queria saber a opinião deles sobre o assunto.

    — Está mais bonita do que esperávamos, viu? Acho que assim não vai esquentar tanto no verão — avaliou Ariano.

    Comerciantes por várias gerações do Mercado, os amigos comentaram que muitas coisas mudaram ao longo dos anos. Antes, o espaço era a casa do povo. E hoje está "mais elitizado", observou Jacques. Mas os dois acreditam que, com as recentes mudanças, o movimento vai aumentar e o espaço se tornar, mais uma vez, a cara de Floripa.

    A nova cobertura retrátil do vão central do Mercado será entregue nesta sexta-feira, em um ato a partir das 11h. A estrutura ficará em teste por 30 dias para analisar o sistema em dias de chuva forte, por exemplo.

    Ariano tem boas expectativas
    Ariano tem boas expectativas
    (Foto: )

    O comerciante Rafael Valença, do Box 10, já observou a presença de uma goteira, mas vai esperar os testes. Mesmo assim, está esperançoso.

    — Vai ficar melhor e facilitar para todos. Pedíamos há muito tempo uma cobertura — conta.

    A colega Denise Adriani Kahlbaum, 33, do Box 6, concorda e lembra que antes eram usados guarda-sóis e tendas, coisas que não atendiam bem a expectativa do cliente e nem do funcionário, que ficava exausto com a instalação desses objetos. Ela espera um aumento de 50% nas vendas com a novidade. Mas lembra: a obra é bem diferente do que foi apresentada inicialmente.

    — Não era o que estávamos esperando. A gente achava que seria uma cobertura de vidro, algo transparente — diz Denise.

    Denise lembra que projeto inicial era diferente
    Denise lembra que projeto inicial era diferente
    (Foto: )

    No projeto inicial, realmente, a cobertura era de vidro. Mas ele foi modificado para um tecido de fios de poliéster, recoberto por uma massa de polímeros com PVC, protegida por um verniz acrílico: ou seja, uma lona tecnológica. Segundo a prefeitura, o material, com aparência branca fosca, foi escolhido para servir de barreira contra o sol, evitando a sensação de "estufa", principalmente no verão.

    A obra começou em setembro do ano passado e custou R$ 4,2 milhões. A empresa que montou a cobertura garante a manutenção por dois anos.

    Deve ficar mais tempo fechado

    Segundo o presidente da Associação dos Comerciantes do Mercado Público, Aldonei de Brito, a cobertura é toda automatizada e o manuseio ficará por conta da associação. A cobertura é dividida em dez partes, ou seja, ela pode ficar aberta do lado esquerdo, mas fechada do lado direito do Mercado, por exemplo.

    — Ela deve ficar mais tempo fechada do que aberta. Vamos avaliar conforme o pedido dos comerciantes — explicou Brito.

    Com a novidade, a associação planeja uma série de eventos para atrair o público novamente ao espaço, como o lançamento da Fenaostra, além de uma ação com cervejarias.

    Festival da Tainha até sábado

    Para quem ainda não participou, dá tempo de correr ao Mercado Público e saborear as delícias do Festival da Tainha. Sábado é o último dia do evento, que começou no dia 4 de junho. Além de gastronomia, vai ter música ao vivo. Em quase um mês de festival, segundo a Associação dos Comerciantes do Mercado Público, alguns restaurantes chegaram a comercializar 120 pratos de tainha em um dia.

    Colunistas