Um homem de 45 anos, morador de Pomerode, no Vale do Itajaí, foi encaminhado ao Hospital Nereu Ramos, em Florianópolis, com suspeita de febre amarela. Ele está internado na UTI da unidade, que é referência em infectologia.

Continua depois da publicidade

De acordo com a gerente da Vigilância Epidemiológica de Pomerode, Jaqueline Gustmann, o homem deu entrada no Hospital e Maternidade Rio do Testo na segunda-feira (17). Com diarreia e registro de febre nos dias anteriores, foi medicado e liberado ainda na segunda.

Nesta terça-feira (18), ele voltou à unidade com os sintomas agravados, com forte dor de cabeça, dores pelo corpo e falta de ar. Houve alteração em alguns exames feitos, por isso a equipe decidiu interná-lo por suspeita de febre amarela.

Apesar do quadro estável, ele teve de ser encaminhado na tarde desta terça à UTI do Hospital Oase, em Timbó. À noite, seguiu para a capital. O atual estado de saúde do paciente não foi informado pela instituição, mas ao meio-dia ele poderá receber a visita de um familiar que o acompanha.

Conforme Jaqueline, o homem não estava vacinado contra a doença e vive sozinho em uma casa localizada em uma área mais afastada da cidade, conhecida como Alto da Serra.

Continua depois da publicidade

Mortes de macacos

Chegou a 326 o número de macacos encontrados mortos com suspeita de febre amarela em Santa Catarina nas primeiras semanas do ano, informou nesta segunda-feira (17) a Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive-SC).

Os casos ocorreram em 34 cidades catarinenses num período de 50 dias, entre 29 de dezembro de 2019 e 17 de fevereiro de 2020. Os macacos não transmitem a doença, mas a morte deles indica a presença do vírus.

Febre amarela em Indaial

A Vigilância Epidemiológica de Indaial confirmou no início desta semana o primeiro caso do ano de macaco morto no município por febre amarela. O animal foi encontrado em janeiro, no bairro Encano do Norte.

— Quando identificamos o primata ele ainda estava doente, com sintomas parecidos de febre amarela. Encaminhamos o material para análise e agora em fevereiro tivemos o resultado. Nesse período o animal veio a óbito — explica a enfermeira e coordenadora da Vigilância, Sabrina de Vargas Souza.

Continua depois da publicidade

Além do caso identificado no bairro Encano do Norte, a Vigilância da cidade tem contabilizado em 2020 outros cinco macacos com suspeita de febre amarela.

Vacinação

A febre amarela é uma doença grave, transmitida por mosquitos em áreas silvestres e próximas de matas. Todas as pessoas com mais de nove meses de idade devem receber a dose da vacina.

No momento, a cobertura vacinal no Estado está em 85%, e o ideal é imunizar ao menos 95% da população dentro do público-alvo, conforme a Dive/SC.

Sintomas

A febre amarela é uma doença de evolução rápida. A contaminação resulta nos seguintes sintomas:

Continua depois da publicidade

— febre de até sete dias de duração.

— dor de cabeça intensa.

— dor abdominal.

— manifestações hemorrágicas.

— icterícia.

Destaques do NSC Total