nsc
    an

    luto nas artes

    Morre Melina Mosimann, companheira de Juarez Machado e diretora do Instituto Internacional em Joinville

    O velório ocorrerá na manhã de sexta-feira, com acesso limitado por causa da prevenção contra o novo coronavírus

    18/06/2020 - 12h11 - Atualizada em: 24/06/2020 - 07h10

    Compartilhe

    Cláudia
    Por Cláudia Morriesen
    foto mostra melina e juarez
    Melina era diretora administrativa do Instituto Juarez Machado, que ajudou a transformar em ponto de referência no Norte de SC
    (Foto: )

    Melina Mosimann faleceu nesta quinta-feira (18), em Joinville. Ela era natural de Blumenau, mas viveu a maior parte da vida em Joinvile. Há 15 anos era companheira do artista Juarez Machado. Ela foi peça importante para a viabilização do Institituto Internacional Juarez Machado, em Joinville, que atualmente integra a rota dos principais pontos turísticos e artísticos da região Norte de Santa Catarina.

    É lá que será o velório de Melina, na noite desta quinta-feira. A cerimônia será apenas para os familiares, por causa da proibição de aglomerações como forma de de prevenção contra o coronavírus. Melina era diretora administrativa do instituto, localizado na rua Lages, no bairro América. Ela tinha 53 anos e, há cerca de um ano, fazia tratamento contra o câncer. Ela deixa uma filha, Victoria.

    Melina cresceu em uma casa na região central de Joinville e em meio às artes: seus pais eram donos da Galeria Lascaux onde, ainda na infância, conheceu aquele que um dia se tornaria seu "eterno namorado", já que Juarez teve suas obras expostas e leiloadas por Ayrton e Marina Mosimann ainda nos anos 1970. Mais tarde, quando o pai faleceu, ela assumiu a administração da galeria ao lado da mãe.

    > Diretor artístico do Instituto Juarez Machado avalia possível reabertura ao público

    foto mostra victoria, juarez e melina
    Com a filha, Victoria, e Juarez na abertura de uma exposição, em 2011
    (Foto: )

    — Era uma casa diferente, onde os artistas entravam. O almoço era sempre numa mesa enorme de no mínimo 12 pessoas — contou ela ao relembrar a infância, em entrevista a um projeto do Shopping Mueller em 2015.

    Formada em Educação Artística, ela também estudou jornalismo. Atuou como apresentadora de programa de TV, com uma passagem de cerca de seis anos na TVCom, da RBS Santa Catarina, e foi promotora de eventos. Com a irmã, Haydée, era proprietária de uma loja de obras de arte e decoração no Centro de Joinville. 

    — Meus pais batalharam muito, se dedicaram muito. Por causa deles, aprendi a não ter medo de errar e acho que foi por isso que fiz tantas coisas diferentes na vida.—

    > Juarez Machado é homenageado com a Medalha Dona Francisca em Joinville

    Uma "linda história de amor"

    Melina e Juarez viraram amigos depois que ambos, já divorciados e com filhos, se reencontraram em trabalhos desenvolvidos por ela: o artista era figura recorrente no programa de entrevistas na TVCom e, mais tarde, ela participou da organização do evento de inauguração do condomínio que leva o nome do artista no Centro de Joinville, momento em que o relacionamento começou.

    O "namoro", como o casal preferia tratar, tornava-se uma relação à distância quando Juarez voltava para seu apartamento na França e Melina permanecia cuidando dos projetos pessoais e do Instituto Juarez Machado em Joinville. Em alguns momentos do ano, ela partia para encontrá-lo na Europa e, em outras épocas, ele ficava em Joinville. 

    O artista gosta de contar como, no início do namoro, ao conversarem sobre o que esperavam de um novo relacionamento, havia pedido a ela: que eles simplesmente pudessem viver uma linda de história de amor.

    ​> Receba notícias de Joinville e da região Norte de SC por WhatsApp. Clique aqui e entre no grupo do AN

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Cotidiano

    Colunistas