nsc
an

Inquérito

Morte de cachorro em trilho de trem em Joinville será investigada pela polícia

Animal foi encontrado decapitado após ser amarrado na linha férrea

16/07/2021 - 16h35

Compartilhe

Hassan
Por Hassan Farias
Trilho de trem em Joinville
Trilho de trem em Joinville
(Foto: )

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso do cachorro que foi amarrado em um trilho de trem e teve a cabeça cortada em Joinville. O animal foi encontrado na última quarta-feira (14) na rua Gustavo Henrique Meyer, no bairro Floresta.

> Acesse para receber notícias de Joinville e região pelo WhatsApp

Segundo o delegado Larry Marcelo Rosa, responsável pela investigação, os policiais já estão realizando as diligências para descobrir quem pode ter cometido o crime. O inquérito foi instaurado nesta sexta-feira (16).

O caso foi divulgado pela Frente de Ação pelos Direitos Animais (Frada) nas redes sociais. Uma pessoa que acompanha o trabalho da entidade informou sobre os maus-tratos ao cachorro e a Frada foi até o local, onde constatou que o animal havia sido amarrado no trilho. Com a passagem do trem, ele morreu decapitado.

> Cachorro é roubado durante assalto em residência de Rodeio

O animal foi recolhido do local pela empresa Ambiental e até o momento não há informações sobre o dono do cachorro. Segundo a presidente da Frada, Liliane Lovato, há relatos de que o animal andava com um morador de rua nas redondezas.

A entidade também recebeu mensagens nas redes sociais de que uma pessoa publicou ameaças a um cachorro muito parecido com o encontrado morto no trilho de trem.

Cachorro foi decapitado após ser amarrado no trilho de trem
Cachorro foi decapitado após ser amarrado no trilho de trem
(Foto: )

Abandono e maus tratos contra animais são crimes

A presidente da Frada ressalta que abandono e maus tratos contra animais são crimes, assim como deixar cachorros amarrados no quintal de casa. Por isso, ela orienta que as pessoas pensem muito antes de levar um animal para casa.

- Ele vai dar trabalho, sentir fome e frio, ficar doente e dar gastos. Então, se a pessoa não quiser ter essa resposabilidade e cuidar dele até o fim da vida, não deve pegar um animal - reforça Liliane.

Ela ainda afirma que adotar é diferente de gostar de um animal. Nem todas as pessoas têm condições de levar um cachorro para dentro de casa e cuidar dele para sempre. Nestes casos, há outras opções como ajudar uma ONG ou dar um lar temporário para um animal até que ele encontre um definitivo, por exemplo.

Leia também

Última vítima do acidente com ônibus na BR-376 continua internada e teve braço amputado

Casal que fez sexo na frente de crianças é denunciado pelo MP em Jaraguá do Sul

Colunistas