nsc
    hora_de_sc

    Segredo de Justiça

    MP denuncia suspeito de assassinar mulher trans no Campeche por homicídio qualificado; ele segue preso

    Inquérito da Polícia Civil tratou o caso como feminicídio, mas MP desconsiderou a qualificadora que trata sobre violência de gênero

    11/03/2020 - 17h23 - Atualizada em: 11/03/2020 - 20h37

    Compartilhe

    Clarissa
    Por Clarissa Battistella
    homicídio trans campeche
    (Foto: )

    O Ministério Público de SC interpretou como homicídio o assassinato da mulher transexual que foi encontrada morta dentro do porta-malas de um carro, em um motel do Campeche, no Sul da Ilha de Santa Catarina. O caso ocorreu ainda no dia 6 de fevereiro e foi tratado pela Polícia Civil como feminicídio.

    Ao receber o inquérito policial, no entanto, o MP-SC desconsiderou que o assassinato ocorreu por razão de gênero ou de violência doméstica e denunciou o suposto autor do crime por homicídio com qualificadoras de impossibilitar a defesa da vítima e emprego de asfixia.

    O promotor de justiça, André Otavio V. Mello afirmou, no entanto, que o entendimento pode mudar no decorrer da ação:

    — Não vislumbrei feminicídio pois, até então, no inquérito policial não restou claro a relação íntima doméstica entre os envolvidos - vítima e autor dos fatos. Fato que, se for apurado durante a instrução do processo, aditarei a denuncia neste sentido.

    O homem também foi denunciado por ocultação de cadáver e adulteração de sinais do veículo - já que a placa teria sido dobrada para que o carro não fosse identificado na fuga - e segue preso em Florianópolis. O documento foi encaminhado à Justiça e corre em segredo. A pena para os crimes que foi denunciado é de 12 a 30 anos de reclusão.

    Esse é o terceiro assassinato de mulher transexual este ano em Florianópolis. Outras duas vítimas tinham sido atacadas no Norte da Ilha dois dias antes do crime no Campeche. Sobre o duplo homicídio das mulheres trans, ainda não há novidades na investigação. Questionado sobre o caso, o delegado Ênio Matos disse, apenas, que está "trabalhando".

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Polícia

    Colunistas