nsc
an

Investigação

Mulher assumiu culpa em assassinato do marido em SC para proteger o filho, diz polícia

Polícia Civil pediu outra prisão preventiva após encontrar inconsistências nos relatos registrados

03/11/2021 - 06h00 - Atualizada em: 03/11/2021 - 14h02

Compartilhe

Bianca
Por Bianca Bertoli
Sabrina
Por Sabrina Quariniri
Investigações tiveram reviravolta nesta terça-feira
Investigações tiveram reviravolta nesta terça-feira
(Foto: )

As investigações sobre o assassinato a facadas de um homem de 32 anos em Araquari, no Norte de Santa Catarina, ganhou novos rumos nesta terça-feira (2). A Polícia Civil acredita que a esposa da vítima, que assumiu a autoria do crime, mentiu para proteger o filho. A mulher continua presa e o suposto responsável pelo homicídio está foragido. A vítima foi identificada como Julio Cesar Oening. 

​> Quer receber notícias de Joinville e Norte de SC por WhatsApp? Clique aqui

O crime aconteceu na madrugada desta terça-feira (2) e a companheira da vítima foi presa em flagrante após ter confessado o delito. Segundo a polícia, duas crianças de 7 e 10 anos, netos da mulher, estavam na casa no momento do assassinato, além do filho dela, de 30 anos, pai dos pequenos.

Primeiro relato após o crime

De acordo com o delegado Eduardo de Mendonça, Julio Cesar foi morto por volta da 1h40min. O filho da mulher de 54 anos contou aos policiais que presenciou a discussão do casal e saiu para outro cômodo. Em seguida, cerca de dez minutos depois, segundo ele, a mãe foi até ele e disse que tinha matado o padrasto.

O flagrante foi registrado, mas nas primeiras investigações feitas durante a manhã, delegado e equipe perceberam inconsistências nos relatos.

— O filho dela, que possui extensa ficha criminal, teria matado ele e a mãe teria assumido o crime para tentar livrar o filho. Até conseguiu em um primeiro momento — conta Mendonça.

Armação

Durante o depoimento, a mulher ficou a maior parte do tempo em silêncio e, quando questionada, continuou afirmando ter matado o marido, logo após uma briga no bar, mas que não se lembrava dos detalhes. 

- Mas tudo indicava que tinha sido o filho. Primeiro, recebemos uma denúncia anônima, depois conversamos com pessoas que estavam no bar onde os três estavam bebendo juntos. Eles saíram de local e os dois homens brigaram ao chegarem na residência, por final, a mulher confirmou toda armação - conta o delegado. 

- Além do brutalidade do crime. Dificilmente uma senhora de 54 anos conseguiria ter feito da forma que foi - conclui Mendonça. 

O casal morava no local há dois anos e há cerca de dois meses o enteado da vítima, agora suspeito, deixou a prisão e foi morar com a mãe e o padrasto. O homem foi morto com pelo menos seis facadas na região do peito e barriga.

O laudo cadavérico deve confirmar a quantidade de golpes e a causa do óbito ainda nesta semana.

Leia também

Acidente com motociclista bêbado mata mulher em Florianópolis

Motorista de BMW abandona carro após acidente em Florianópolis

Quadrilha morta em Varginha pode ser a mesma de mega-assalto em Criciúma, diz polícia mineira

Colunistas