nsc
    dc

    Saúde

    Mulher morre com meningite no Sul de Santa Catarina 

    Paciente tinha um tipo não transmissível da doença. Dive/SC ressalta que esta bactéria é diferente da responsável pela morte da menina de 12 anos neste mês, em Imbituba

    28/06/2019 - 06h53 - Atualizada em: 28/06/2019 - 07h25

    Compartilhe

    Por Camila Levien

    A Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC) confirmou a morte de uma mulher de 45 anos com meningite. A doença foi apenas uma das causas da morte, pois a paciente também estava com pneumonia, insuficiência renal e teve choque séptico. Ela faleceu na manhã desta quinta-feira (27), era moradora de Cocal do Sul e estava internada no Hospital São José em Criciúma.

    A Dive/SC ressalta que essa situação não foi causada pela bactéria Neisseria Meningitidis, responsável pela morte da menina de 12 anos neste mês em Imbituba e sim pela Streptococcus pneumoniae (pneumococo). Este subtipo não causa surtos, pois não é transmissível.

    A Diretoria explica que o pneumococo faz parte da flora normal do corpo humano. No entanto, se a pessoa tem uma sinusite ou amigdalite, por exemplo, o estado de saúde dessa pessoa pode se complicar e levar a essa meningite. Um menino de seis anos também foi hospitalizado nesta semana no sul do Estado com esta bactéria. O quadro da criança é estável.

    Segundo o Ministério da Saúde (MS) a bactéria Streptococcus pneumoniae, é a segunda maior causadora de meningite de origem bacteriana no Brasil. É mais frequente no sexo masculino e apresenta maior risco para idosos e portadores de doenças crônicas ou de doenças imunossupressoras.

    A vacina está disponível no Sistema Único de Saúde (SUS). É a chamada pneumocócica 10-valente (conjugada) que protege contra todas as doenças invasivas causadas pelo Streptococcus pneumoniae. O Calendário Nacional de Imunização prevê a aplicação em três doses: a primeira aos dois meses, a segunda aos quatro meses e o reforço com um ano de idade.

    Meningite

    Meningite é uma infecção que se instala principalmente quando uma bactéria ou vírus, por alguma razão, consegue vencer as defesas do organismo e ataca as meninges, três membranas que envolvem e protegem o encéfalo, a medula espinhal e outras partes do sistema nervoso central. Elas podem ser bacterianas ou virais e raramente podem ser provocadas por fungos ou pelo bacilo de Koch, causador da tuberculose.

    Sintomas

    Meningites virais: nas meningites virais, o quadro é mais leve. Os sintomas se assemelham aos das gripes e resfriados.

    Meningites bacterianas: febre alta, mal-estar, vômitos, dor forte de cabeça e no pescoço, dificuldade para encostar o queixo no peito e, às vezes, manchas vermelhas espalhadas pelo corpo. Nos bebês, a moleira fica elevada.

    Prevenção

    Evitar aglomeração;

    Manter locais arejados, ventilados e sempre que possível ensolarados;

    Manter higiene pessoal e de utensílios;

    Lavar as mãos com água e sabão várias vezes ao dia;

    Ao visitar bebês, lavar as mãos e usar álcool 70%;

    Não visitar bebês se estiver resfriado ou com febre;

    Manter a caderneta de vacinação em dia.

    Colunistas