nsc
    dc

    Projeção

    Número de mortes por coronavírus em SC pode triplicar em 1 mês, diz secretário de Saúde

    Em entrevista à NSC TV, André Motta Ribeiro disse que "fotografia do momento" aponta para "situação extremamente delicada" nas próximas quatro semanas

    29/07/2020 - 08h01 - Atualizada em: 29/07/2020 - 08h33

    Compartilhe

    Por Guilherme Simon
    André Motta Ribeiro
    O secretário de Saúde de Santa Catarina, André Motta Ribeiro
    (Foto: )

    O secretário de Estado de Saúde, André Motta Ribeiro, afirmou nesta quarta-feira (29) que o número de mortes por coronavírus em Santa Catarina pode triplicar nas próximas quatro semanas caso a transmissão do vírus continue a acelerar. Atualmente, são 960 óbitos pela doença. Seguindo a projeção da secretaria, seriam quase 3 mil mortos no fim do mês de agosto.

    > SC registra o número mais alto de casos ativos de coronavírus; veja as cidades com mais pacientes

    Em entrevista ao Bom Dia Santa Catarina, da NSC TV, Motta disse que o Estado continua registrando aumento da velocidade de transmissão da Covid-19, embora tenha havido uma “discreta melhora” desse índice na última semana. Ele enfatizou que a “fotografia do momento aponta uma situação extremamente delicada para as próximas quatro semanas”, e que medidas restritivas não serão suficientes para conter o vírus se não houver a adesão da sociedade.

    — Precisamos de uma desaceleração e, para isso, precisamos do engajamento das pessoas (...) Temos uma perspectiva de triplicar o número de óbitos em quatro semanas se não houver uma melhora — declarou.

    Santa Catarina soma 73,7 mil casos confirmados de coronavírus e 960 mortes pela doença, segundo o boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgado nesta terça-feira (28).

    Na entrevista, o secretário de Saúde também declarou que o governo pretende ativar 180 novos leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) em hospitais catarinenses até, no máximo, o fim desta semana. Motta disse esperar que “isso diminua a tensão sobre o sistema de saúde”.

    > Risco de contaminação pelo coronavírus é maior em locais fechados; veja como se proteger

    Motta também falou sobre a falta de insumos e medicamentos para pacientes com Covid-19. Ele defendeu que essa é uma realidade observada em todo o país e afirmou que, nos hospitais administrados pelo Estado, “não há problemas de estoque”. O secretário declarou que tem atuado junto ao Ministério da Saúde na tentativa de resolver a situação, mas declarou que o governo não é o único responsável pelo problema, citando o governo federal e as entidades que administram hospitais filantrópicos para afirmar que “a responsabilidade é de todos”.

    Deixe seu comentário:

    Últimas notícias

    Loading... Todas de Saúde

    Colunistas