Em dezembro de 1900, as tranquilas e isoladas Flannan Isles, na costa da Escócia, se tornaram o centro de um dos maiores mistérios náuticos da história. Três guardiões de um farol – Thomas Marshall, James Ducat e Donald McArthur – desapareceram sem deixar vestígios.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Clique e participe do canal do Hora no WhatsApp

O enigma de seu sumiço continua a intrigar historiadores, investigadores e entusiastas de mistérios até hoje. Nesta reportagem, vamos entender um pouco melhor o que aconteceu neste caso misterioso e até quais obras ele pode ter inspirado.

Continua depois da publicidade

Entenda o desaparecimento dos guardiões do farol de Flannan Isles

Entenda a história por trás do desaparecimento

Thomas Marshall, James Ducat e Donald McArthur eram homens experientes, encarregados de manter o farol operacional e garantir a segurança das embarcações que navegavam pelo Atlântico Norte. A vida de um guardião do farol era isolada e desafiadora, exigindo resiliência e habilidade para enfrentar as adversidades do clima severo e da solidão.

Em 15 de dezembro de 1900, a embarcação a vapor Archtor, ao passar pelas Flannan Isles, notou que o farol não estava funcionando. Dias depois, em 26 de dezembro, o navio de abastecimento Hesperus chegou às ilhas, encontrando o farol deserto. Joseph Moore, o oficial do farol, foi enviado para investigar. O que ele descobriu foi desconcertante: o local estava vazio, as portas trancadas, mas o relógio parado, a mesa posta para uma refeição e o diário dos guardiões registrava eventos até 15 de dezembro.

Continua depois da publicidade

A investigação revelou que uma tempestade havia atingido a região em torno da data do desaparecimento. As suposições variavam desde uma onda gigante arrastando os homens para o mar até hipóteses mais místicas, envolvendo abduções ou fenômenos sobrenaturais. Nenhum corpo foi encontrado, e nenhuma evidência concreta surgiu para explicar o que aconteceu.

O caso de Flannan Isles como inspiração

O mistério do desaparecimento dos guardiões do farol de Flannan Isles mora há algum tempo no imaginário coletivo. A estranheza do caso e a falta de uma explicação satisfatória inspiraram várias obras de ficção. Em 2018, o filme “The Vanishing” (O Mistério da Ilha Flannan), estrelado por Gerard Butler, apresentou uma dramatização fictícia do evento, explorando temas de isolamento, paranoia e a luta pela sobrevivência.

O caso de Flannan Isles também pode ter servido de inspiração para o filme “O Farol” de Robert Eggers (2019). Em ambos, a solidão e a pressão mental enfrentadas pelos faroleiros levam a mistérios não resolvidos e a um ambiente de tensão crescente. Enquanto o caso real sugere diversas teorias, incluindo ondas gigantes e conflitos internos, o filme intensifica o suspense com elementos sobrenaturais e alucinações, criando uma atmosfera opressiva que explora a fragilidade da mente humana sob condições extremas.

Continua depois da publicidade

Leia mais

A história do computador: da invenção ao processamento em nuvem

Conheça o impressionante sistema de metrô de Tóquio

Destaques do NSC Total