Quando alguém viaja para fora do Brasil, muitas coisas precisam ser feitas, desde retirar o passaporte até descobrir como fazer o câmbio para a moeda do local que será visitado. Porém, algo que muitas pessoas não sabem é que o chip de celular que usamos aqui no país não funciona internacionalmente. Por isso, nessas situações, é necessário trocá-lo a fim de continuar se comunicando externamente.

Continua depois da publicidade

Siga as notícias do Hora no Google Notícias

Mas afinal, como funciona esse chip exatamente? E quais são as diferenças do chip utilizado no Brasil e no exterior? Para responder essa e outras perguntas, trouxemos essa matéria. Confira abaixo!

Saiba mais sobre o chip internacional de celular

Continua depois da publicidade

E que é um chip de celular?

Antes de mais nada, precisamos definir o que é o chip de celular. Também conhecido como SIM Card, ele é um cartão de plástico com circuitos de memória que permitem o armazenamento de informações. De acordo com o site Built In, a função do chip é bastante simples, mas muito importante. Isto pois ele é o responsável por conectar o dispositivo físico, no caso o celular, com as informações de um usuário.

Com isso, as empresas de telefonia e internet conseguem liberar o acesso a serviços como ligação e mensagem de SMS. Além disso, ele também permite o acesso à internet na rua através de dados móveis. 

E como funciona o chip internacional?

O chip internacional é um serviço que as operadoras oferecem para que o usuário continue se comunicando fora do Brasil por meio do mesmo aparelho. Assim, através dele, será possível continuar recebendo ligações e SMS, além de poder acessar a internet. O chip internacional também faz com que serviços online como GPS e WhatsApp possam ser utilizados de maneira tranquila e mais barata.

Continua depois da publicidade

Além disso, o chip internacional ao ser ativado se conecta automaticamente com as redes do país onde você está, algo que o chip brasileiro não faz. E pode parecer que não, mas a ativação desse dispositivo é muito simples: basta fazer autenticações via mensagens de SMS ou colocar os códigos fornecidos pela operadora na hora da compra. 

Tipos de chip para viagens ao exterior

Vamos agora te apresentar os principais tipos de chip internacional e como eles funcionam, a fim de você escolher qual é a melhor opção para a sua viagem:

  • E-sim internacional: esse cartão funciona como qualquer outro, disponibilizando todas as funções do chip físico. Contudo, ele é feito de forma virtual, sendo ativado por aplicativos ou QR Code;

Continua depois da publicidade

  • Chip comprado no local de destino: caso você prefira o chip físico existem algumas opções, como adquiri-lo quando chegar ao país que irá visitar ou morar. Um dos contras deste modelo é que você ficará sem internet até a hora de sua ativação;
  • Chip brasileiro com roaming: você também pode manter seu chip brasileiro com um serviço chamado roaming. Com ele, sua operadora vai cobrar uma mensalidade e oferecer ligações e troca de mensagens fora do Brasil. Sua desvantagem, contudo, é que utilizar essa opção chega a ser mais cara que a compra de um chip.

Leia também

Etias: tudo sobre o visto para Europa a partir de 2024

Como tirar passaporte: preço, onde agendar e prazo

Destaques do NSC Total