nsc
santa

Mobilidade

Obra de duplicação da Rodovia Antônio Heil será paralisada, diz governo do Estado

Nota da Secretaria de Infraestrutura aponta que consórcio responsável pelos trabalhos "encontra dificuldades para finalizar a obra"

10/04/2019 - 07h57 - Atualizada em: 10/04/2019 - 07h58

Compartilhe

Redação
Por Redação Santa
(Foto: )

A Secretaria de Estado de Infraestrutura anunciou nesta terça-feira que irá rescindir o contrato com o Consórcio SC-486, formado pelas empresas Triunfo e Compasa. Ambas são responsáveis pela obra de duplicação da Rodovia Antônio Heil, entre Brusque e Itajaí, trabalho que deveria ter sido finalizado no início de 2017, teve prazo de entrega alterado para dezembro do ano passado, e no início de janeiro foi prorrogado novamente, para setembro de 2019.

De acordo com comunicado oficial do governo do Estado, "o encerramento do contrato será necessário, pois o consórcio enfrenta algumas dificuldades para finalizar a obra e desta maneira não conseguiria cumprir o prazo de entrega". Em nota, a Secretaria de Infraestrutura disse ainda "que está tomando todas as medidas para que a obra seja retomada e finalizada o quanto antes", porém não deu detalhes sobre qual será o trâmite a partir de agora.

O Estado ainda não definiu se chamará a segunda colocada no processo licitatório ou fará uma nova licitação.

Relembre

A ordem de serviço para a duplicação da Rodovia Antônio Heil foi assinada em 2014, mas a obra começou apenas em 2015. Até o fim do ano passado cerca de 70% dos trabalhos estavam concluídos, porém de janeiro até agora não houve evolução no serviço. Havia a previsão também da construção de um trevo complexo com construção de duas pontes e dois viadutos no acesso à BR-101, o que nunca saiu do projeto.

No total, de acordo com o governo do Estado, 21 quilômetros serão duplicados no trecho de Itajaí, com investimento de R$ 146 milhões com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), garantidos via Pacto Por Santa Catarina. Outro trecho, de 3,2 quilômetros, em Brusque, foi iniciado em parceria com uma empresa com a transferência de aproximadamente R$ 29 milhões de ICMS da empresa para a obra.

Colunistas