nsc

publicidade

No escuro

Obras na Ponte Hercílio Luz e no acesso ao aeroporto chegam à reta final sem iluminação

Dois projetos importantes para Florianópolis não previam energia elétrica nas propostas iniciais. Agora, estudos para a instalação foram iniciados

16/09/2019 - 17h02 - Atualizada em: 16/09/2019 - 21h57

Compartilhe

Jean
Por Jean Laurindo
Estado assumiu contratação de empresa para instalação da iluminação da Ponte Hercílio Luz
Estado assumiu contratação de empresa para instalação da iluminação da Ponte Hercílio Luz
(Foto: )

Duas obras de Florianópolis esperadas e que conviveram com polêmicas e atrasos no cronograma têm outro ponto em comum: o de chegarem à reta final sem contar com projeto de iluminação. O problema que poderia fazer as construções serem entregues às escuras envolve o acesso ao novo aeroporto e ao Sul da Ilha e também a Ponte Hercílio Luz.

O caso mais urgente é o do acesso ao Sul da Ilha. A obra deve ser entregue até 1º de outubro para permitir a ligação ao novo terminal, que começa a operar nesta data. Mas a liberação será de forma provisória. Em um trecho 1,4 quilômetro no bairro Carianos, no Sul da Ilha, o trânsito será apenas em duas pistas, uma em cada sentido.

Neste primeiro prazo, já é certo que a obra não vai ser entregue com a iluminação pronta, segundo o secretário de Estado de Infraestrutura, Carlos Hassler. A expectativa dele é de que os postes e luminárias só devam iluminar a rodovia em março de 2020, prazo em que o governo quer entregar todo o acesso pronto, com as pistas duplas em todos os oito quilômetros.

O contrato firmado pelo Estado para a execução da obra do acesso Sul não possui projeto de iluminação. O secretário estadual afirma que a instalação de postes e fiação seria responsabilidade do município, que é quem arrecada a Contribuição Sobre Iluminação Pública (Cosip), e que o Estado já iniciou uma conversa com a prefeitura de Florianópolis para buscar uma solução.

— Existe uma conversa com a Cosip, eles estão vendo o orçamento. Vamos chamá-los para conversar, uma alternativa está sendo avaliada — afirma, sem antecipar qual seria a medida.

A prefeitura, no entanto, alega que as conversas entre o Estado e o município sobre o tema começaram apenas na última semana. O primeiro contato teria sido um pedido de orçamento para a instalação de postes e luminárias feito há duas semanas.

Estado e município discutem situação da iluminação no acesso ao aeroporto
Estado e município discutem situação da iluminação no acesso ao aeroporto
(Foto: )

O município afirma que fez um orçamento, que apontou o valor de R$ 7,4 milhões para executar todo o projeto de iluminação. O prefeito Gean Loureiro, então, se propôs a ajudar com R$ 2,4 milhões. Na última semana, Estado e município se reuniram e definiram que a prefeitura fará o levantamento dos valores para colocação do sistema. O projeto está em andamento e deve terminar até o final do mês. A discussão sobre quem vai pagar a estrutura virá somente depois disso.

Questionado sobre a ausência do projeto de iluminação no planejamento da obra, o secretário de Estado de Infraestrutura afirma que em rodovias estaduais, que possuem distâncias maiores e visam ligar municípios, não é prevista iluminação. No entanto, admite que no caso do acesso Sul a iluminação é necessária.

— Em um caso desse, até poderíamos interpretar como sendo falha de planejamento na gestão do projeto, porque se sabe que é uma obra bem urbana. Mas se for analisar o histórico da obra, quando se assumiu, estava praticamente parado, com espera por desapropriações, problemas ambientais. Eram tantos problemas que a iluminação era o menor deles, foi sendo levada adiante para antes resolver os casos mais graves que impediam a obra de ser executada — defende Hassler.

Iluminação da Ponte Hercílio Luz corre contra o relógio

A Ponte Hercílio Luz passa praticamente pela mesma situação. A obra está na reta final, com previsão de entrega no fim de dezembro por parte do governo do Estado, mas o cronograma não contava com projeto de iluminação.

Neste caso, porém, o governo do Estado decidiu assumir os custos e contratar a instalação da iluminação pública. O projeto tem licitação em andamento — uma empresa foi habilitada após a abertura dos envelopes com a documentação, na semana passada. Quando o projeto estiver pronto, será necessário licitar a execução.

No caso da ponte, há dois tipos de iluminação prevista: a funcional, para garantir segurança e visibilidade a quem transitar sobre a ponte, e a cênica, de caráter decorativo para iluminar a estrutura que é o principal cartão-postal do Estado. Apesar do prazo curto, o secretário de Estado de Infraestrutura, Carlos Hassler, acredita que a iluminação funcional estará pronta até a entrega da obra, em dezembro.

— A cênica com certeza não ficará pronta para dezembro. Mas essa nós até podemos ter mais tempo, esperar uma data especial para inaugurar — sustenta Hassler.

Ponte de Laguna: impasse sobre a conta

Em Laguna, polêmica é sobre quem paga a conta de luz da Ponte Anita Garibaldi
Em Laguna, polêmica é sobre quem paga a conta de luz da Ponte Anita Garibaldi
(Foto: )

Os problemas sobre iluminação na reta final de obras públicas remetem ao impasse da Ponte Anita Garibaldi, em Laguna. A estrutura foi concluída dentro do prazo, em 2015, mas nesse caso o que permanece em discussão é a quem compete pagar a conta de luz da ponte.

O Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit) entregou a obra para que o município pagasse a conta, que tem custo médio de R$ 6 mil ao mês, segundo a Celesc. A discussão é semelhante à que ocorre em Florianópolis: por arrecadar valores de contribuição sobre iluminação pública (Cosip), o entendimento era de que caberia ao município manter a iluminação. Mas a prefeitura acionou a Justiça por entender que a obra é de interesse nacional, e não local, por estar em uma rodovia federal, onde passam motoristas de todo o país.

Após o município perder na primeira instância da Justiça Federal e no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), o caso foi parar no Supremo Tribunal Federal (STF). Um despacho do ministro Gilmar Mendes mandou o caso para a Câmara de Conciliação e Arbitragem da Administração Federal. Lá, a assessoria de comunicação da Advocacia-Geral da União (AGU) informou que uma regra de confidencialidade que impede a divulgação de detalhes até a definição de um acordo, mas afirmou que o caso "está tramitando, tendo produzido avanços na busca pelo entendimento entre as partes".

No processo do STF, a decisão mais recente, de 19 de agosto deste ano, suspendeu o processo pelo período de 120 dias — enquanto o assunto é discutido na câmara de conciliação. Segundo o procurador da prefeitura de Laguna, Adriano Teixeira Massih, a suspensão ocorreu porque as partes esperam o lançamento de um edital de concessão do trecho Sul da BR-101. A intenção é de que o contrato determine que a empresa que assumir a manutenção da rodovia pague também a conta de luz.

O Dnit não deu mais detalhes sobre o andamento do processo. No site do Programa de Parcerias e Investimentos (PPI), o governo federal informa que o edital deve ser lançado até o fim do ano e o leilão deve ocorrer no primeiro trimestre de 2020. Enquanto isso, a Celesc precisa manter a iluminação na ponte por força de uma decisão liminar. A conta acumulada atualmente é de R$ 370 mil, segundo a empresa.

As obras

Acesso ao Sul da Ilha e ao Aeroporto de Florianópolis

Descrição: rodovia vai dar acesso ao novo terminal do aeroporto de Florianópolis e também deve facilitar o acesso ao Sul da Ilha, diminuindo congestionamentos.

Responsabilidade da execução: governo do Estado

Extensão: 8,04 kms

Valor: R$ 229,1 milhões

Iniciada em: outubro de 2013

Estágio atual: O lote mais atrasado (1B, do Viaduto do Carianos ao Lotamaento Santos Dumont), que será entregue com pista simples em outubro, tem 65% dos trabalhos concluídos. Outros dois lotes têm medições entre 70% (1A, do Trevo da Seta ao acesso ao bairro Carianos) e 90% (do loteamento ao acesso ao sul da Ilha). Um lote onde está o maior trecho, de 3,78km, e outros dois que concentram as chamadas obras de arte especiais, como pontes e viadutos, têm 100% dos trabalhos concluídos.

Situação da iluminação: não está prevista no projeto da obra. Estado negocia com prefeitura possível solução para contratar a iluminação, que não vai ficar pronta para a entrega da obra, prevista para 1º de outubro.

Reforma da Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis

Descrição: recuperação da estrutura

Responsabilidade da execução: governo do Estado

Extensão: 821 metros

Valor: R$ 321,3 milhões (contrato atual + aditivos e reajustes)

Iniciada em: abril de 2016 (contrato em execução atualmente)

Estágio atual: 90,86% dos trabalhos executados

Situação da iluminação: também não estava prevista no projeto da obra. O governo do Estado decidiu bancar a instalação e abriu licitação para contratar o projeto - processo está em fase de homologação do vencedor. Depois disso, vai ser necessário licitar a execução do projeto. Ainda assim, o Estado pretende instalar a iluminação funcional até dezembro, quando a ponte deve ser entregue. Já a iluminação cênica deve ficar para o ano que vem.

Ponte Anita Garibaldi, em Laguna

Descrição: travessia sobre as lagoas de Imaruí e Santo Antônio, entre os Kms 313,1 e 315,9 da BR-101.

Responsabilidade da execução: governo federal

Extensão: 2,8 km

Valor final: R$ 774,3 milhões

Iniciada em: março de 2012 (contrato em execução atualmente)

Estágio atual: Concluída e entregue em julho de 2015

Situação da iluminação: o impasse no caso da Ponte de Laguna não envolve a instalação da iluminação, mas sim o pagamento da conta. A prefeitura de Laguna questiona na Justiça a obrigação de pagar a conta mensal de energia, que fica em cerca de R$ 6 mil. O município tenta fazer com que o Dnit, responsável pela obra e pela manutenção da BR-101, onde a ponte está inserida, arque com o valor. Depois de ir parar no STF, o processo foi encaminhado a uma câmara de conciliação federal. Os prazos estão suspensos por 120 dias desde agosto deste ano. A expectativa é de que a concessão do trecho sul da BR-101 possa determinar que a empresa vencedora pague a conta de luz da ponte. Por enquanto, a Celesc está impedida de cortar a iluminação da ponte por meio de liminar, mesmo sem o pagamento das contas atrasadas, que atualmente é de R$ 370 mil, segundo a empresa.

Ainda não é assinante? Assine e tenha acesso ilimitado ao NSC Total, leia as edições digitais dos jornais e aproveite os descontos do Clube NSC.

Deixe seu comentário:

publicidade