publicidade

Direitos

ONU e MP se juntam em Florianópolis para discutir participação das mulheres nos processos de imigração

Pela primeira vez SC realiza evento sobre migrações e refúgios envolvendo a questão de gênero com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados

25/03/2019 - 11h07 - Atualizada em: 25/03/2019 - 17h10

Compartilhe

Por Ângela Bastos
A psicóloga Merlina Saudade e o artesanato da Venezuela
A psicóloga Merlina Saudade e o artesanato da Venezuela
(Foto: )

A história e a cultura de Santa Catarina mostram que os imigrantes ajudaram a formar um dos mais significativos mosaicos étnicos do país. Mas a vida de um imigrante, independente do tempo e do espaço, é sempre marcada por grandes desafios. Para as mulheres a realidade é ainda mais difícil. Não apenas por questões culturais, mas também de gênero que muitas vezes impedem o acesso delas ao mercado de trabalho.

Um evento nesta terça-feira, das 9h às 19h, no auditório do MPF, na Capital, vai discutir o tema, resultado de uma parceria entre a organização Círculos de Hospitalidade e Ministério Público Federal.

A abertura, às 10h, será feita por Nathalie Beaudoin, vice-cônsul do Canadá no Brasil e chefe da seção de assuntos políticos, econômicos e públicos. Na sequência haverá a apresentação do projeto Somos Protagonistas, por Bruna Kadletz, coordenadora e diretora do Círculo de Hospitalidade.

Também está prevista uma mesa com o tema Migrações & Protagonismo Feminino. Participam as imigrantes Ghofran Daher (designer e empreendedora síria), Hanan Yasin (artista síria), Merlina Saudade (psicóloga venezuelana), Reina Bejarano (poetisa colombiana) e Reinyera Mujica (engenheira e empreendedora venezuelana) que vivem em cidades da Grande Florianópolis.

Além da apresentação de curta, evento tem feira multicultural com produtos da culinária árabe, haitiana e venezuelana e artesanato

Às 13h terá apresentação do curta metragem Além do Refúgio: Vozes Femininas, por Gabriela Martini, do Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante (CRAI/SC). O encontro também abre espaço para a Feira Multicultural Unindo Mundos, Aproximando Culturas. A intenção é criar espaço para integração, diversidade, networking e conexões, além de gerar renda para famílias refugiadas e imigrantes que fazem parte do Círculos de Hospitalidade. No local haverá culinária árabe, haitiana e venezuelana, artesanato.

Miliane, do Haiti, vai participar da feira Multicultural de Círculos da Hospitalidade
(Foto: )

Esta é a primeira vez SC realiza um evento sobre migrações e refúgios envolvendo a questão de gênero com a participação da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e Alto Comissariados das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR). Além da necessidade de humanizar o olhar a respeito de populações refugiadas e migrantes, o seminário pretende ressignificar a percepção coletiva de mulheres refugiadas e imigrantes.

Um dos objetivos da organização é o de fortalecer a percepção que migrar é direito e que imigrantes e refugiados migram com boas intenções, buscam proteção e recomeço de suas histórias muitas vezes ameaçadas por guerras e perseguições contribuindo para o desenvolvimento social, cultural e econômico das cidades e dos países onde se inserem.

O seminário Migração, Refúgio e Protagonismo Feminino ocorre das 9h às 19h, no auditório do MPF, Centro Executivo Luiz Elias Daux, Rua Pascohoal Apóstolo Pitsica, 4876, Florianópolis.

Deixe seu comentário:

publicidade